(19) 3894-2490 [email protected]
 franquias home based
 franquias home based

O que são Franquias Home Based?

O termo home based, home office ou franquias home based (empresas com sede em uma residência) vem ganhando cada vez mais espaço no mercado nacional. De tal forma que, muitos especialistas afirmam, inclusive, que o trabalho em casa será realizado por mais da metade do brasileiros em um futuro próximo. Nesse sentido, a expansão das redes de comunicação e a popularização dos dispositivos portáteis e móveis, como laptops, smartphones e tablets, foram fatores decisivos para que este tipo de trabalho se tornasse cada vez mais comum, permitindo que as mais diversas atividades sejam realizadas sem sair de casa.

Por exemplo, no home-office ou nas franquias home based, as empresas não possuem um espaço físico específico. Normalmente, todo o trabalho é realizado por poucas pessoas ou apenas uma, o proprietário. Desta forma, todos os processos e atividades acontecem em casa, não há horários fixos e nem salários programados, principalmente quando o negócio conta somente com um colaborador, ou seja, o dono.

Além disso, alguns profissionais optam por abrir um negócio próprio, mas uma opção que vem ganhando adeptos, principalmente por conta da situação atual da economia brasileira, são as franquias home based de baixo investimento. Neste caso, o negócio funciona da mesma forma que as franquias tradicionais, mas sem sede e horários fixos.

 

01. Onde surgiu o home-office?
02. Vantagens e desafios da franquia home office
03. Franquia home office 2020: dicas do diretor da Rei do Mate para empreender
04. Como empreende e ter bom resultados como franqueado?
05. Franquia home office 2020: vale a pena investir no franchising
06. Inbound marketing para franquia home-office
07. Franquia home office: como devem atuar agências digitais
08. Quem são os consumidores do inbound marketing?
09. Franquia home office recebe Rodrigo Gardelha para palestra sobre Social CRM na Convenção
10. Empreendedor da franquia home office 2020 conta seu case de sucesso na Convenção da Guia-se
11. Visão e oportunidade de crescimento na franquia home-office no Brasil
12. Franquia home office: novo mercado de vendas é tema de palestra na Convenção da Guia-se
13. Franquia home office recebe Rafael Rez em Convenção de franqueados
14. Guia-se encerra Convenção com celebração dos 20 anos da franquia home office
15. Franquia home-office é foco da mídia virtual

 franquias home based
 franquias home based

Veja mais sobre as franquias home based de marketing digital Guia-se aqui:

Franquias de Marketing Digital | Franquias Digitais Guia-seFranquias de Sucesso Microfranquias | Franquias OnlineFranquias Virtuais FranchisingFranquias Home BasedFranquias Home Office | Franquias Baratas | Negócio Lucrativo | Canal do Youtube

Quer saber mais sobre a franquia digital Guia-se? Inscreva-se aqui!

 

01. Onde surgiu o home office?

Quem pensa que trabalhar em casa é algo novo está enganado. Desde a Idade Média, lojas e oficinas ficavam no mesmo ambiente que as casas, porém, no século 19, a Revolução Industrial levou os trabalhadores para as fábricas. Este sistema, em que o trabalhador saía de casa para trabalhar, funcionou muito bem por anos. Entretanto, com o crescimento das cidades e, principalmente, com o caos no trânsito, cada vez mais pessoas querem deixar o trabalho convencional de lado para experimentar o home office e as franquias home based.

Em 1980, o escritor futurista Alvin Toffler já profetizava em seu best-seller A terceira Onda que a tecnologia permitiria que as pessoas voltassem a trabalhar de casa. Sem dúvida, ele acertou. Com o início da Era da Informação, na qual se valorizam os serviços, a criatividade e a produtividade, trabalhar em casa se tornou uma tendência.

Nesse sentido, o mercado home office ou home based no Brasil é uma dos que mais crescem em nível mundial. Uma vez que, o modelo de trabalho em casa veio na bagagem das empresas multinacionais. Para exemplificar, dados do Censo 2010 mostravam que cerca de 20 milhões de brasileiros trabalhavam e moravam no mesmo endereço, o que representava na época, um quarto da mão de obra ocupada do País. Por consequência, para acompanhar a tendência, a CLT brasileira foi adaptada e, na Lei 12.551, assinada em 2011, garantiu direitos iguais para trabalhadores remotos e locados nas empresas.

>>> MENU PRINCIPAL

 

 

02. Vantagens e desafios da franquia home office

Por certo, uma das principais vantagens da franquia home based é o custo. Normalmente, este modelo de negócio de franquia home based possui baixo investimento inicial, no formato de microfranquia de sucesso (aquela cuja taxa de franquia não excede R$ 80 mil) e sem a necessidade de um espaço, não há gastos com aluguel, reforma, mobília, entre outros. Além disso, o formato de franquia home based permite gestão de forma independente e pode ser uma ótima opção para quem acabou de perder o emprego e quer investir o valor da rescisão em um negócio próprio.

De tal sorte que, entre os benefícios da franquia home based estão a flexibilidade de horários que pode resultar em mais tempo com a família e com os filhos. Por outro lado, não enfrentar engarrafamentos ou longos percursos para chegar ao trabalho. Além disso, não há um limite de ganhos nas franquias home based, quem define isso é o franqueado, pois é ele quem vai prospectar novos clientes e decidir quando expandir os negócios.

Com certeza, a franquia home based também inspira desafios. Antes de mais nada, a disciplina e foco no trabalho são exigidos com mais rigor dos franqueados que atuam em casa. Já que quase toda a atividade é realizada na própria residência, é essencial que o franqueado separe bem as tarefas do cotidiano das atividades do empreendimento. Por exemplo, em casa o profissional corre o risco de se distrair, fazer outras coisas que nada tem a ver com a empresa e não alcançar as metas do dia.

Organização e planejamento são essenciais nas franquias home based

Sem dúvida, a organização é uma regra para quem quer investir neste modelo de negócio. Desse modo, o ideal é que o franqueado estabeleça horários específicos para as atividades da franquia home based 2020 e use a flexibilidade proposta para contornar possíveis intercorrências no que já foi planejado. Além do desafio prático, a mistura do orçamento familiar com o da franquias home based também se torna um problema para alguns profissionais. Bem como, outra queixa comum é a perda de espaço dentro de casa, afinal, embora não seja necessário um espaço físico para receber clientes, o franqueado precisará de uma área para realizar as operações sem interferências.

Antes de decidir investir em uma franquia home based barata, o franqueado deve levar em consideração que terá todo o know-how e suporte da franqueadora, que são fatores super importantes para quem não possui experiência na área. Entretanto, na mesma medida, o franqueado precisará divulgar a sua unidade, visitar em clientes e assumir múltiplas tarefas: vendedor, financeiro, analista, consultor, etc.

Como ter sucesso com nas franquias home based em 2020

Certamente, todo negócio tem riscos e com a franquias home based não seria diferente. Primeiramente, o que deve ser observado pelo futuro empreendedor é se ele realmente gosta da atividade proposta pela franquia online, no caso da Guia-se Negócios pela Internet é o marketing digital. Sem dúvida, quando a escolha da franquias home based é baseada na identificação com o negócio, o investimento tem mais chances de valer a pena, pois há harmonia entre o franqueado e a marca, o que vai motivar o profissional.

Nesse sentido, o CEO da Guia-se Negócios pela Internet, José Rubens Oliva Rodrigues, dá três dicas para quem busca o sucesso com uma franquia de marketing digital: ter um foco, traçar metas e objetivos, e ter sonhos. “Um projeto de sucesso na vida profissional pode e deve ser simples e lembrado diariamente. Você precisa saber o que vai fazer hoje, na próxima semana e nos próximos meses, para executar o projeto e alcançar seus sonhos”, destaca. De tal forma que, uma forma saudável para começar um novo negócio de franquias home based é planejando todos os passos, assim, se algo der errado é mais fácil voltar alguns passos e corrigir.

>>> MENU PRINCIPAL

 

03. Franquia home office 2020: dicas do diretor da Rei do Mate para empreender

Na Convenção Anual de Franqueados, João Batista falou sobre empreendedorismo e sua atuação na rede de franquias home based

A franquia home based Guia-se Negócios pela Internet recebeu a presença do diretor da rede Rei do Mate, João Batista Silva Junior. O executivo marcou presença na 7ª edição da Convenção Anual de Franqueados. No segundo dia de evento, Batista falou aos parceiros e membros da franquia virtual sobre empreendedorismo. Ele contou ainda como a Rei do Mate conseguiu chegar ao posto de destaque entre as franquias nacionais. A Convenção Anual de Franqueados foi realizada de 4 a 6 de outubro, em Indaiatuba, município sede da Guia-se.

Em resumo, Batista contou que desde 1992 atua com franquias de sucesso. Na época em que começou, trabalhava na formatação de um projeto para uma empresa espanhola, a qual contava com 75 unidades. Apesar dos 75 desafios, o diretor da Rei do Mate ressaltou que a paixão pelo que fazia era maior e decidiu ir atrás de profissionais mais capacitados que ele. Nesse meio tempo, em busca de aprendizado, passou a fazer parte da Associação Brasileira de Franchising (ABF). “Descobri que muita coisa que estava fazendo que eu achava que estava errado, chamava atenção de empreendedores que queriam aprender conosco”, revelou.

O case de sucesso da franquia Rei do Mate 

Com certeza, todo o aprendizado na ABF, aliado a sua experiência no mercado, fez com que Batista chegasse a casa de chá brasileira Rei do Mate. Uma vez que, teve destaque entre as franquias nacionais, a rede começou seu negócio de forma simples. Em síntese, a franquia foi fundada em 1950, por Kalil Nasraui, na esquina das avenidas Ipiranga e São João, em São Paulo.

No local, os paulistanos consumiam o chá produzido pelo próprio Kalil, que podia ser apreciado puro ou misturado com leite, limão, caju ou maracujá. Sem dúvida, ir à Casa do Mate, como era chamada, virou tradição. Por consequência, o sucesso foi tão grande que a empresa manteve por mais de uma década 7 unidades próprias. Mas em 1991, devido à concorrência, a Rei do Mate foi reestruturada e passou a atuar com franquias.

Estratégias bem definidas são o primeiro passo para o sucesso

Só para ilustrar, Batista contou aos membros da franquia home based 2020 que chegou a Rei do Mate em 1998. No momento em que, possuía uma empresa de consultoria e gestão de negócios e passou a prestar serviços para a franquia. Atualmente, a rede possui 330 unidades, em 80 municípios e em 20 estados brasileiros.

Nesse sentido, para o parceiro da Guia-se, ter estratégias bem definidas foi o que proporcionou sucesso e crescimento da franquia Rei do Mate. “Tudo foi possível porque temos muito claro missão, visão e valores da empresa. Temos modelos de negócios em tudo e atuamos em shoppings e hospitais. Mas há lojas de rua que também são muito fortes”, diz. “Por vários vezes fomos premiados no setor de franquias e por trás disso tem muito empreendedorismo e trabalho das pessoas.”

>>> MENU PRINCIPAL

 

 

04. Como empreende e ter bom resultados como franqueado?

Sem dúvida, empreendedorismo faz da dúvida uma necessidade. Durante a Convenção da Guia-se, Batista salientou que para ser um empreendedor de sucesso não é preciso, necessariamente, ser um empresário. “Basta ser simplesmente um empreendedor. Em suma, aquele que questiona, inova, soluciona problemas e promove desenvolvimento. Mas nesta caminhada é fundamental ainda ter otimismo, ser autoconfiante, ter desejo de protagonismo, coragem para aceitar riscos, resiliência e perseverança”, constatou. “É sonhar com o sucesso do próprio negócio, mas, acima de tudo, acreditar que dará certo.” O sucesso do empreendedor, para Batista, acontece quando ele acredita e mostra-se engajado para fazer acontecer.

Por isso, o diretor da Rei do Mate alertou aos franqueados sobre a necessidade de se dedicar ao máximo ao seu negócio. Batista lembrou que, quando um pessoa entra para um sistema de franquia, está alugando a marca para utilizá-la por tempo determinado. “Nesta hora, muitos franqueados podem pensar: por que se esforçar tanto pela marca do outro?”, provocou.

Segundo Batista, porque o franqueado faz parte e também é dono do negócio, mas é necessário ter o “sentimento de pertencer”. Em princípio, o investimento em uma franquia é alto, por isso o franqueado precisa dedicar-se ao máximo para alcançar o tão cobiçado retorno financeiro. “O franqueado antigo precisa mudar sua atitude empresarial frente aos novos desafios. Se não tiver relacionamento de confiança não funciona”, ponderou.

>>> MENU PRINCIPAL

 

 

05. Franquia home office 2020: vale a pena investir no franchising

De fato, vale a pena investir no franchising? Batista garantiu que sim, durante evento da franquia home based. No entanto, desde que o empreendedor esteja disposto a seguir a risca algumas ações. “É preciso ter propósito, aquele te faça levantar todo dia de manhã disposto a fazer valer a pena”, declarou. “Tenha uma metologia que permite ter padrão. Mas nunca esqueça de ensinar as pessoas a terem esse mesmo padrão, o que é fundamental para o sucesso.” Por último, entenda que parceiro não é fornecedor. “Se seu fornecedor não for parceiro, será necessário trocá-lo”, observou.

Em seguida, o diretor da Rei do Mate alertou ainda sobre os desafios do mercado de franquias no Brasil. Para ele, é um setor complexo e que conta com situações que atrapalham muito o empreendedorismo. Com certeza, o principal desafio então é melhorar a gestão, visto que o brasileiro está pouco acostumado com gestão financeira.

De tal forma que, os novos empreendedores devem estar dispostos ainda a lidar com os consumidores que hoje são multicanais, instrumentalizados pela tecnologia, e principalmente engajados. No geral, procure melhorar os processos, controles e resultados. Para isso, segundo Bastita, é fundamental ter menos custos, mais qualidade financeira e melhor engajamento e participação do franqueado.

>>> MENU PRINCIPAL

 

 

06. Inbound marketing para franquia home-office

Parceiro da Guia-se, Eduardo Correia mostrou os “atalhos” para se tornar uma agência de automação

A franquia home based Guia-se Negócios pela Internet contou com a presença da parceira Sharpspring, por meio do representante Eduardo Correia, durante a 17ª Convenção Anual de Franqueados. Na ocasião, o especialista falou sobre como tornar-se uma agência de automação de inbound marketing. A palestra foi ministrada a parceiros e membros da microfranquia virtual, no primeiro dia de evento. A Convenção deste ano ocorreu de 4 a 6 de outubro, em Indaiatuba, município onde fica instalada a sede da Guia-se.

Primeiramente, Correia iniciou a palestra da franquia home-office explicando quais são os fundamentos do inbound marketing. O especialista lembrou que esta é uma estratégia on-line que visa atrair clientes potenciais de forma voluntária. Desse modo, a captação dos mesmos é realizada pelas empresas através de blogs, podcasts, vídeos, e-books, etc.

Nesse sentido, Correia explicou ainda que a estratégia faz parte do novo estilo de compra do consumidor. “Atualmente, este perfil não quer apenas comprar, antes ele exige informações sobre o produto a ser adquirido. Por isso, busca informações em sites, ouve opinião de outros clientes e, muitas vezes, quando chega para realizar a compra, sabe mais do que o próprio vendedor”, apontou.

Estratégias de Inbound marketing são muito importantes para o sucesso das franquias home based 

De fato, Correia considera muito importante a utilização do inbound marketing. Ao membros da franquia online, o especialista lembrou que atualmente as empresas devem atuar como mídias e não simplesmente como televisão, rádio, etc. “É necessário criar audiência em torno de sua empresa para que o consumidor não tenha qualquer dúvida sobre seu produto na hora da compra.

De que forma: produzindo conteúdo gratuito para seu cliente, a fim de deixá-lo bem informado sobre seu nicho de atuação”, ensinou. “Dessa forma, podem obter um lead melhor, passam a produzir e-mail marketing, vender  o produto e fazer o pós-venda.  Desse modo, o consumidor é atraído por um conteúdo, por algo que não conhecia e ele cria um desejo de consumo”, explicou Correia.

>>> MENU PRINCIPAL

 

 

07. Franquia home office: como devem atuar agências digitais

Em seguida, Correia deu detalhes durante a Convenção das franquias virtuais, sobre como as agências digitais devem atuar. O especialista salientou  que é fundamental oferecer, além do operacional, serviços de designer e criação. Nesse sentido, a atuação das agências deve ser pautada no serviço integrado, desde a comunicação interna, passando pelo marketing, até chegar à venda. Dessa forma, além de um serviço organizado, o trabalho será muito mais valorizado pelo cliente.  “O foco neste tipo de estratégia tem de estar relacionado a resultados. O cliente não quer ver visibilidade, mas, sim, toda a jornada que foi feita para chegar-se ao resultado”, diz.

Para alcançar resultados com inbound marketing, o parceiro da microfranquia alertou sobre a necessidade de ampliar os serviços oferecidos. “É fundamental melhorar o SEO e as mídias sociais, bem como fazer landing page e otimizar o site da empresa. Desse modo, a agência deverá ainda oferecer e-mail marketing, criar materiais de apoio, e-book e automação de e-mail. Por isso, tudo deverá estar ainda alinhado com base na jornada de compra. Nesse sentido, são necessárias ferramentas e recursos como plataforma de automação de marketing, emissão de relatórios, CRM e business inteligence”, ponderou.

>>> MENU PRINCIPAL

 

 

08. Quem são os consumidores do inbound marketing?

Para exemplificar, o parceiro da franquia de marketing digital Guia-se informou que há no mercado dois tipos de perfis que contratam agências para inbound. O B2B (business to business), que possui ticket médio mais alto, faz buscas no Google, e depende da decisão do diretor para fazer a contratação. E o B2C (business to consumer), que funciona com ticket médio alto e atua nos setores da construção civil, imobiliário e em vendas de veículos. “Em ambos os casos, é ideal trabalhar com contratos de até 6 meses, independente se o serviço é tabelado ou com comissão sobre vendas”, orientou.

Em seguida, Correia lembrou ainda, aos membros da franquia home based, que atuar com inbound marketing também tem suas dificuldades. Por exemplo, de acordo com o especialista os resultados acontecem a médio e longo prazo. Além disso, outra “dor” desta ferramenta é a importância de contratar pessoas qualificadas para realização do serviço. “É fundamental produzir conteúdo, ‘briefar’ bem o cliente para conhecer suas ‘dores’. Gerar conteúdo é orgânico, tem que aguardar para estar no Google e às vezes seu ciclo de vendas demora”, ressaltou. “São vários pontos que é preciso deixar claro ao cliente, para ele não pensar que tudo ocorre a curto prazo. A maioria dos empresários é muito imediatista.”

>>> MENU PRINCIPAL

 

 

09. Franquia home office recebe Rodrigo Gardelha para palestra sobre Social CRM na Convenção

Parceiro da franquia home based Guia-se fala sobre como gerir relacionamentos dos clientes através das redes sociais

A franquias home based Guia-se recebeu a presença do parceiro Rodrigo Gardelha, que ministrou uma palestra sobre Social CRM. Em suma, o conteúdo foi explanado para parceiros e franqueados da microfranquia home based. Além disso, o especialista realizou sua apresentação no terceiro dia da Convenção Anual de Franqueados Guia-se 2017. O principal evento da franquia on-line aconteceu em Indaiatuba/SP, sede da Guia-se, entre os dias 4 e 6 de outubro.

Primeiramente, Gardelha abriu a palestra na microfranquia explicando que o Social CRM nada mais é que a evolução do CRM, porém para o âmbito das redes sociais. O Social CRM tem como objetivo a gestão de relacionamentos com os clientes, bem como estruturar sua comunicação. Para isso, utiliza-se o monitoramento de redes sociais e demais meios de contatos como postagens, mensagens e outros.

Certamente, o objetivo é criar envolvimento e principalmente engajamento com o público. No entanto, para isso é preciso definir algumas ações e estratégias para que seu cliente torne-se autoridade no assunto. Não é falar apenas de coisas, mas sim contar histórias.

Franquias home based: saber se posicionar é o primeiro passo

Sem dúvida, o primeiro passo em busca de engajamento, segundo o parceiro da franquia home based ou em casa, é saber se posicionar no mercado. É a partir dessa postura que o público criará uma percepção sobre seu cliente. “Tenha um posicionamento claro. O posicionamento é a percepção que o público alvo tem de você. Independente do que você acredita que é, se o público te enxergar de outra forma, significa que a relação não está bem construída, que você não soube se posicionar. Posicionamento não se cria, ele se define, se constrói, é essência”, enfatiza.

Antes de mais nada, saber o momento certo de agir também é essencial para conquistar resultados expressivos no Social CRM. Atualmente, para vender é preciso construir uma relação com o público e, para isso, há o momento certo e o meio certo: basta ter calma e não tentar “enfiar” produtos “goela abaixo” dos clientes.

“Entender o momento é o paradigma que estamos vivendo hoje. Não é, e nunca vai ser, a tecnologia o mais importante nesse processo. A tecnologia entra nas nossas vidas unindo pessoas de forma completamente diferente”, diz. “Mas, se você resolver o problema do cliente, ele vai comprar seu produto ou serviço, porque o que ele quer é solução. Nesse sentido, entenda o que é importante para o cliente. Uma vez que, as pessoas não compram produtos, elas saciam desejam. Crie desejo.

Ter planejamento e jamais pular etapas nas franquias home based é essencial

Em seguida, o parceiro da franquia virtual explicou, aos membros da franquia home-office, que ter planejamento é fundamental nesta relação. Seja como for, é preciso saber para onde se vai e o que quer alcançar. Pois, atualmente, o marketing digital está pautado na integração e no novo modo de pensar das pessoas, que não é mais linear. “A ansiedade de vender é tão grande que muitos pulam etapas. Não procuram entender a necessidade do cliente, para depois fazer a oferta e a venda. Já querem vender”, diz. “Construam relações. Hoje internet é mídia de massa, com poder enorme de construir relações.”

Por fim, Gardelha lembra aos franqueados que o Youtube é o segundo maior buscador do Brasil depois do Google. Por exemplo, só no ano passado, foram registradas 2,5 bilhões de buscas com as palavras “como fazer”. “Quantos atualmente fazem conteúdo para o canal?”, questionou.

Nesse sentido, o parceiro da Guia-se Negócios pela Internet orientou a apostar mais em mobile, já que até o final deste ano haverá um smartphone por habitante no Brasil. Gardelha salientou ainda que o Brasil é o terceiro maior no mundo em usuários no Linkedin, canal ideal para fazer ofertas de parceria de negócios e serviços. “Entenda as lacunas de mercado. Comunicar com o cliente e abordar ele no lugar errado mancha a nossa imagem, tem que saber onde e como fazer”, conclui.

>>> MENU PRINCIPAL

 

 

10. Empreendedor da franquia home office 2020 conta seu case de sucesso na Convenção da Guia-se

Anderson Silva relata como conseguiu rentabilizar a sua unidade home based, em Bragança Paulista/SP, com gerenciamento de Facebook

Empreendedor da franquia home based há mais de 3 anos, o franqueado da Guia-se Negócios pela Internet, Anderson Silva, marcou presença na Convenção de Franqueados. Em síntese, ele falou sobre como conseguiu potencializar sua unidade apostando em gerenciamento de Facebook. Para exemplificar, o case de sucesso de sua unidade, em Bragança Paulista/SP, foi apresentado aos parceiros e franqueados da microfranquia de marketing digital. A 7ª Convenção Anual de Franqueados ocorreu de 4 a 6 de outubro, em Indaiatuba/SP, município sede da franquia online.

Primeiramente, Silva contou aos membros da franquia home office que passou a atuar com gerenciamento ao ver uma deficiência na maioria das empresas, serviços e estabelecimentos. De tal forma que, em suas passagens por alguns comércios e restaurantes, identificou que a maioria não estava engajada na internet. Mesmo que, alguns até possuíam uma página na rede social, mas não utilizam tal ferramenta como oportunidade de alavancar os negócios.

Dessa forma, estavam na internet, mas sem qualquer método de gerenciamento. Já que acessavam a página de forma aleatória e com isso a conversão era baixíssima. Por consequência, apesar de possuírem site e estarem no Facebook, o conteúdo disponibilizado parecia mais um catálogo virtual.

Suporte da franquia home based foi essencial

De fato, Silva reconhece ainda que o auxílio da franquia de sucesso home based Guia-se foi essencial para seu negócio dar certo. “Nós compramos uma marca e todo o suporte oferecido por ela, como os treinamentos, devem ser muito bem aproveitado”, orienta aos franqueados.

Além disso, ele enfatiza também que a responsabilidade do sucesso de um negócio é exclusivo de quem o administra. Por exemplo, apesar de o Brasil ser o terceiro país em usuários no Facebook (8 em cada 10 brasileiros tem conta no Facebook), é preciso dedicação para prospectar clientes. “Certamente é um negócio de maior ascensão no mundo e que tem muito potencial pela frente. Entretanto, depende do desempenho de cada um para gerir seu negócio. Por isso, é preciso ir para as ruas e fazer acontecer”, ressalta.

>>> MENU PRINCIPAL

 

 

11. Visão e oportunidade de crescimento na franquia home-office no Brasil

De fato, o Brasil tem mais de 21 milhões de empresas ativas e o franqueado da franquia online Guia-se conta que não poderia deixar a oportunidade escapar. Nesse sentido, uma de suas estratégias foi pesquisar as empresas antes de visitá-las, identificar de que forma atuavam na internet e já chegar com uma solução. Em seguida, a partir daí, ele criou um método de gerenciamento de Facebook para pequenas empresas.

Só para ilustrar, com a estratégia, em apenas 30 minutos, os franqueados aprendem como configurar a página de uma empresa e como alcançar engajamento. Além disso, o método ensina ainda como construir a persona, fazer anúncios, sorteios e colaborar ofertas, todo conteúdo com exemplos reais dos próprios clientes.

Desse modo, o método criado pelo membro da franquia home based oferece ainda três aulas ao vivo. Sem dúvida, a ideia é que sejam debatidos ainda assuntos como conquistas, rentabilidade e como atrair clientes para o Facebook. “É um momento de tirar dúvidas, analisar a página do cliente e ter ideias”, salienta Silva.

Certamente, por acreditar no poder da Guia-se e do Facebook, Silva salientou que disponibiliza o curso para os demais membros da Guia-se. Nesse sentido, a ideia é fortalecer ainda mais o trabalho e serviços oferecidos pelos franqueados. “Se vocês pretendem investir em um curso de Facebook, indico o que é desenvolvido pelo membro de nossa equipe. É a oportunidade de não perder mais negócios”, declarou durante a Convenção o CEO da Franquia Virtual Guia-se, José Rubens Oliva Rodrigues.

>>> MENU PRINCIPAL

 

 

12. Franquia home office: novo mercado de vendas é tema de palestra na Convenção da Guia-se

O principal evento da franquia home based Guia-se Negócios pela Internet foi realizado em Indaiatuba/SP

A franquia home-office Guia-se Negócios pela Internet recebeu, durante a 7ª Convenção Anual de Franqueados, o especialista Kleber Ramalho. Ele se apresentou a parceiros e membros da microfranquia de marketing digital no segundo dia de evento, 5 de outubro. Na ocasião, Ramalho debateu sobre as mudanças e o novo mercado de vendas. A Convenção, principal evento da franquia virtual, aconteceu de 4 a 6 de outubro, em Indaiatuba/SP, cidade onde está localizada a sede da Guia-se.

Primeiramente, na apresentação aos membros da franquia home based, Ramalho explicou sobre as transformações no processo de compra nos últimos anos. Posto que, as técnicas e os métodos utilizados para vender já não são mais os mesmos.

De mesma forma, os produtos evoluíram com o avanço da tecnologia e atualmente possuem outro perfil. Entretanto, o que ocasiona esta transformação é principalmente a mudança na forma de consumo do cliente. Cada vez mais exigente, atualmente ele compra, consome, avalia, e até mesmo influencia na decisão de compra de outras pessoas. Para isso, basta uma simples avaliação na internet para milhões de pessoas definirem se vale ou não a pena fazer determinada compra.

O que o novo mercado de vendas espera de seus profissionais?

Por isso, nesta nova era é fundamental que o profissional da área se adeque às necessidades deste consumidor que busca incessantemente por informações sobre o que está prestes a comprar. De acordo com Ramalho, o mercado já não tem mais espaço para aquele vendedor “falastrão”, que alcançava resultados positivos em suas vendas apenas por ter bom papo. Por certo, os tempos são outros e a técnica atualmente já não é suficiente para garantir vendas expressivas. “Hoje quem conduz as negociações é o cliente, pois cabe a ele escutar e fazer indagações acerca de determinado produto ou serviço”, apontou o especialista. “É com a venda consultiva que o profissional terá a possibilidade de proporcionar um experiência de compra satisfatória.”

Na Convenção Anual da franquia home based Guia-se, Ramalho reforçou que a função do profissional de vendas não é vender por vender. Primeiramente, é necessário entender e identificar a real necessidade do consumidor. Dessa forma, na sequência, terá a possibilidade de reconhecer quais são as objeções daquele cliente e desfazê-las. “Para isso, o profissional necessita estar capacitado para atender qualquer tipo de demanda”, salientou Ramalho. “Atualmente, o mercado de vendas premia aqueles que prezam pela atitude. Não adianta ficar sentado e esperar que venham bons resultados.”

Seja um profissional de sucesso dessa transformação

Nesse sentido, em busca de se adequar a essas transformações do mercado de vendas, Ramalho salientou aos franqueados a necessidade de se quebrar alguns mitos da profissão. Segundo ele, o profissional precisa encarar a função como uma profissão e não como uma simples ocupação. A partir daí, passará a entender que vender não é uma arte, como muito se propagou no passado, mas sim vender é sinônimo de disciplina. Ramalho reforçou ainda a necessidade de o profissional de vendas se capacitar. “O vendedor não nasce pronto, mas sim busca adequação com base nas exigências do mercado”, ponderou.

Em resumo, o profissional de vendas precisa ainda, de acordo com o palestrante, entender e aprender tal atividade na prática. Por isso, é fundamental buscar sempre o máximo de informações possíveis sobre o produto e/ou serviço que é comercializado. Desse modo, vale a pena ainda se capacitar sempre e aperfeiçoar as técnicas de vendas. Certamente, atuar na área comercial significa ainda conhecer melhor as necessidades de seu cliente. Além de, criar um plano de desenvolvimento pessoal e um sistema de gestão para controlar esforços também são essenciais para estar inserido nesse novo mercado de vendas.

>>> MENU PRINCIPAL

 

 

13. Franquia home office recebe Rafael Rez em Convenção de franqueados

Especialista apresentou o tema “Marketing emocional: como me conectar com o cliente”

Em seguida, a franquia home based Guia-se Negócios pela Internet recebeu a presença do parceiro Rafael Rez. Ele participou da 7ª Convenção Anual de Franqueados, com a palestra sobre “Marketing emocional: como me conectar com o cliente. O conteúdo foi apresentado aos parceiros e franqueados da microfranquia home based no dia último dia de evento. A Convenção Anual de franqueados ocorreu de 4 a 6 de outubro, em Indaiatuba/SP, cidade onde fica localizada a franquia virtual.

Primeiramente, aos membros da franquia home based, Rez falou sobre a importância de trabalhar o lado emocional na hora da planejar ações de venda, já que o marketing está relacionado a ações de comportamento. Boa parte do consumo das pessoas é movido pela emoção, pela felicidade em estar comprando. Por isso, é preciso provocar este sentimento no cliente e focar em ações para que o cliente final faça a compra movido mais pela emoção que pela razão. Atuar com a questão sentimental do consumidor é tão determinante que o valor pouco interfere. “Quando a emoção pesa, o preço não pesa tanto”, afirma.

Franquia home based: o que leva o consumidor a comprar?

Nesse sentido, Rez comentou aos membros da microfranquia que muitas empresas, para vender, apostam no inbound marketing ou em técnicas de vendas. Entretanto, se esquecem de trabalhar com o emocional do cliente em busca de resultados mais assertivos. Por isso, é preciso entender que o ato de comprar está relacionado ao tipo de mensagem que as pessoas querem transmitir ao mundo sobre elas mesmas.

Por certo, as pessoas são movidas a comprar algo por três motivos básicos: quando necessitam resolver um problema, por isso não podem esperar; por necessidade, e neste caso tem mais tempo para aguardar; e por desejo, quando a pessoa acaba até mesmo pagando um valor mais caro do que realmente vale.

Rafael Rez enumerou razões emocionais que levam o consumidor a comprar motivados:

  1. Para que gostem de mim;
  2. Para sentir o reconhecimento da sociedade;
  3. Para estar certo;
  4. Para se sentir importante;
  5. Para ganhar dinheiro;
  6. Para economizar dinheiro;
  7. Para economizar tempo;
  8. Para facilitar o trabalho;
  9. Para se sentir seguro (impulso fundamental);
  10. Para ser mais atraente;

Tudo pode ser vendido com bom marketing

Para exemplificar, e deixar mais clara a forma de atuar com base nas questões emocionais dos clientes, Rez deu como exemplo o marketing desenvolvido pela Coca Cola.  “Marketing é sobre contexto, é sobre contar histórias. É o que a Coca Cola faz, conta historias sobre situações que você se sente bem, como num almoço entre amigos, e põe o produto dela naquele contexto. Quando você conta as história certas isso gera emoção no cliente, é a emoção que é registrada no cérebro como memória para marcar o produto”, explica. “Marketing é emoção. Precisamos tirar as pessoas do estado racional. Quando elas estão emocionais ela tomam a decisão de compra mais rápido e depois buscam argumentos para justificar a decisão de compra.”

Rez finalizou a palestra mostrando ainda a importância de quebrar algumas objeções clássicas na hora de vender. Ele salienta que muitas vezes falta confiança do cliente. Por isso é importante criar vínculo, para que o cliente se sinta seguro. “Faça o cliente confiar em você e no seu produto ou serviço”, diz.

Desse maneira, a falta de necessidade também pode ser uma objeção. Por isso é essencial tornar evidente os problemas que ele virá a ter se não adquirir o produto ou serviço. A falta de dinheiro também é um argumento. Neste caso, Rez enfatiza que se o cliente achar caro, é porque ele não entendeu o real valor que tem naquela oferta.

Por isso, é necessário vender o resultado que ele irá trazer. “Falta de pressa é outra objeção, neste caso, lembre o cliente o que o concorrente dele está fazendo para superá-lo no mercado”, orienta. Por outro lado, a falta de desejo também pode ser outro empecilho, quando o cliente não percebe que precisa do produto ou serviço. Neste caso, deixe claro a necessidade.

>>> MENU PRINCIPAL

 

 

14. Guia-se encerra Convenção com celebração dos 20 anos da franquia home office

Homenagens e escolha dos destaques do ano marcaram o último dia de evento destinado aos franqueados

Em suma, a franquia home based Guia-se fechou a 17ª Convenção Anual de Franqueados celebrando seus 20 anos no mercado digital. O 3º dia de evento foi marcado também por homenagens a profissionais que corroboram para desenvolvimento da microfranquia de marketing digital. Por consequência, a Guia-se elegeu ainda os franqueados que mais se destacaram em 2017. Além disso, também foi traçado na ocasião, as próximas ações em busca de fortalecimento da marca. A Convenção deste ano ocorreu de 4 a 6 de outubro, em Indaiatuba, cidade sede da Guia-se.

Em primeiro lugar, o CEO da franquia home based, José Rubens Oliva Rodrigue, abriu a solenidade de 20 anos da Guia-se Negócios pela Internet. Ele contou um pouco sobre o começo da franquia online em 1997. Na época, os serviços eram entregues todos em disquetes e era realizados por um colaborador. “Começamos nosso trabalho vendendo guia, mas surgiram muito pedidos para criação de sites e tivemos que tomar outro rumo”, recorda-se José Rubens. “Mas apesar dos desafios, jamais neguei que houvesse problemas e nunca fugi.”

Para exemplificar, a história de sucesso da franquia home office foi marcada ainda por mudanças estruturais. José Rubens contou aos franqueados que Guia-se iniciou suas atividades na sala a casa da mãe, Maria Elizabeth. Nesse meio tempo, com o sócio trabalhou muito e conseguiram alugar um espaço. Entretanto, não demoraram 6 meses para a empresa voltar a casa da mãe.

Após um tempo, a Guia-se passou a funcionar em um prédio no Centro de Indaiatuba, porém outra vez precisou mudar. De tal sorte que, hoje atua em um dos maiores centros comerciais de Indaiatuba, com estrutura completa para os franqueados. “Nenhuma pessoa nesta sala pensou mais em desistir do que eu, isso passa pela cabeça em alguns momentos mais difíceis. Mas o importante é acreditar que vai dar certo”, salientou o CEO da Guia-se.

Franquia home based: projeção para o próximo ano

Em síntese, o encerramento da Convenção da franquia home office ou home based foi marcada ainda pela apresentação das próximas ações. José Rubens e demais franqueados traçaram metas de suporte e marketing para o final deste ano, bem como para 2020. Sem dúvida, a busca ainda é por aumento de geração de leads e expansão de unidades virtuais para atendimento. Nesse sentido, membros e demais colaboradores da franquia virtual preveem ainda a criação do big data para geração de leads, bem como a implantação de CRM (Customer Relationship Management) e projetos.

Em seguida, outros objetivo foram programados entre a Guia-se Negócios pela Internet e seus membros. De tal forma que, estão previstas, na ocasião, campanhas de marketing focadas no treinamento de franqueados, times colaborativos, número de franqueados e case. Dessa maneira, a franquia home based vai em busca ainda de mais um Selo de Excelência da Associação Brasileira de Franchising (ABF). A franquia de sucesso é a única no Brasil a conquistar a chancela sete vezes seguidas, em reconhecimento ao suporte que é proporcionado a seu franqueado.

20 anos da Guia-se foi marcado por homenagens e premiações 

Certamente, a celebração dos 20 anos da franquia home based Guia-se foi marcada ainda por algumas homenagens e premiações. Entre os franqueados, Hélio e Elisa, da unidade Ipiranga/SP, tiveram seus trabalhos reconhecidos durante a Convenção. “Acredito muito no trabalho desenvolvido por vocês, por isso tenho certeza que o resultado virá”, salientou a gerente nacional de Operações da microfranquia, Carla Pavão. Outra homenageada do dia foi Elisabete Oliva, mãe do CEO da Guia-se José Rubens.

Nos 20 anos da franquia home based Guia-se Negócios pela Internet, os franqueados tiveram seus trabalhos reconhecidos e foram premiados. Por exemplo, como destaques da redes receberam a premiação Anderson Silva (Bragança Paulista/SP), Fabíola e Rafael (Jaguariúna) e Alessandra Almeida (Osasco Centro). Completam a lista os franqueados Leandro Buratti (Uberlândia/MG) e Davis Oliveira (Vila Formosa, São Paulo/SP).

As premiações aconteceram em diversas categorias

Em seguida, no prêmio design, Giovani Blota, da unidade Porto Alegre/RS – RC2, foi premiado na categoria Site. Rodrigo Ribeiro, do Butantã São Paulo/SP, foi o destaque em Loja Virtual. Logo depois, os franqueados Fabius e Rafael, do Brooklin Novo São Paulo/SP, receberam premiação em 3 categorias: Blog, Site e Mídias Sociais. Por fim, a franqueada Luciana Portella, da unidade Guia-se Porto Velho/RO, venceu o pelo Prêmio Vídeo.

Logo após, a franquia home based Guia-se Negócios pela Internet também premiou o Top 5 entre os franqueados que mais se destacaram em 2017. Na ocasião, eles foram agraciados com presentes que vão desde viagens, cursos, a aparelhos eletrônicos. Francisco Valente, das unidades Guia-se Americana e Piracicaba, conquistou a primeira colocação do ranking. “Acredite muito no sonho de vocês. Sou franqueado há 1 ano, aposentado e não precisava estar trabalhando. Não possuía qualquer conhecimento no ramo, mas tinha vontade de vencer. Tive muita dedicação para ganhar este prêmio.

Diversas atividades marcaram a 7ª Convenção Anual de Franqueados

Por certo, foram três dias cheios de atividades marcaram a 7ª Convenção Anual de Franqueados Guia-se 2017. No primeiro dia (4 de outubro), a franquia home based trouxe Rafal Kiso,  que falou sobre Marketing On-Life. Em seguida, Keila Silva também se apresentou aos franqueados e ministrou palestra sobre Comportamento do consumidor.

Logo após, Felipe Morais falou sobre Internet das coisas, enquanto que Maya Sendoya debateu sobre Omnichannel. Além disso, o dia de abertura teve ainda palestra sobre Sharpspring, com o parceiro da Guia-se. De tal forma que, Marcos Custódio falou sobre a importância do SEO. Para finalizar, WordPress foi o tema exposto pelos parceiros da franquia online, Guilherme e Rogério.

Rafael Kayzel abriu o segundo dia (5 de outubro) de Convenção e falou sobre Como atuar em alta performance. O parceiro da Guia-se, Anderson Silva, fez o lançamento de info-produto. Kleber Ramalho também se apresentou no evento, com o tema O mercado mudou – o novo profissional de vendas. Os franqueados também participaram da palestra com o diretor da franquia Rei no Mate, João Baptista Junior, sobre Empreendedorismo. Márcia Novaes falou sobre Relacionamento no franchising. Parceira da Guia-se, a Xtech Commerce também esteve presente na Convenção 2017. O segundo dia contou também com mesa redonda e anúncio de novas parcerias.

Palestra sobre UX também esteve presente na Convenção da franquia home based

Para finalizar, novas palestras marcaram a Convenção da franquia home based. A abertura ficou por conta do especialista Daniel Furtado, que palestrou sobre UX não é frescura. O parceiro da franquia de marketing digital, Rafael Rez, falou sobre Marketing emocional: como se conectar com o cliente. O último de Convenção contou ainda com palestra sobre Social CRM, com Rodrigo Gadelha; e Internet no Brasil e números de mercado, ministrada por Rodrigo Lakso. O especialista Luciano Larrossa falou sobre Facebook Ads. Por fim, Alexandre Site fechou o ciclo de palestras da Convenção da Guia-se com a palestra Fechamento de power de vendas.

>>> MENU PRINCIPAL

 

 

15. Franquia home based é foco da mídia virtual

Reportagem da Exame.com sobre as franquias home based de marketing digital

Sem dúvida, o sonho da franquia home based pode estar mais próximo do que se imagina. Certamente, a Guia-se Negócios pela Internet é a prova que de trabalhar de casa não só pode, como dá certo. O fato tanto é real que a empresa voltou a ser destaque na mídia referente a esse tema em específico. O portal da revista Exame citou novamente a franqueadora em uma reportagem intitulada “30 opções de franquia para trabalhar de casa”. A matéria saiu no dia 11 de maio, uma semana após a Guia-se ser citada pelo mesmo veículo em uma reportagem com outro foco.

Para exemplificar, a jornalista Mariana Fonseca, da Exame.com, relata que a Guia-se é uma franquias home based de marketing digital. Ela conta que a marca foi criada em 1997 e hoje possui 120 unidades, oferecendo em sua rede serviços como consultoria, criação de site, desenvolvimento de loja virtual, links patrocinados no Google e no Facebook, SEO, e-mail marketing, mídias sociais, hospedagem de dites e e-mails entre outros. “O investimento inicial para a franquia é de 44.900 mil reais e o faturamento bruto mensal é estimado em torno de 15 mil reais. O prazo de retorno para o investimento é de seis a 24 meses”, diz o texto.

Reportagem do portal Terra também aborda as franquias home based

Da mesma forma, o portal Terra, no setor de Economia, também publicou uma reportagem no dia 12 de maio com o título “Está desempregado? Por que não tentar franquias home based?”, na qual ressalta que a modalidade traz riscos menores do franchising e dispensa gasto com aluguel ou reforma de imóvel. O CEO da Guia-se, José Rubens Oliva Rodrigues, foi o entrevistado da matéria, enquanto diretor de Microfranquias da Associação Brasileira de Franchising (ABF). “Às vezes não é nem uma opção, é a única saída. O mercado está retraindo, fechando vagas em muitos setores, então fica muito difícil se recolocar. Não dá para saber ao certo quanto tempo você vai ficar desempregado”, afirma o administrador para o Terra.

Além disso, a reportagem destaca que a taxa de desemprego no Brasil ficou em 7,9% no primeiro trimestre de 2015, a maior dos últimos dois anos. Por isso, usar o dinheiro da rescisão e investir no próprio negócio com uma franquia home-office é uma excelente saída. “Uma rede de franquias conta com um modelo já testado e oferece suporte da franqueadora, que é fundamental para que o negócio dê certo”, enfatiza José Rubens na reportagem. “Se o empreendimento puder ser tocado de casa, sobra mais capital de giro para enfrentar os primeiros meses de operação, quando o negócio ainda está se consolidando”, diz o texto.

>>> MENU PRINCIPAL

 

 

 franquias home based
 franquias home based