Franquias de Sucesso

Assista agora a apresentação das Franquias de  Marketing Digital Guia-se de sucesso!


Quer saber mais? Preencha o cadastro abaixo ou o nosso formulário de perfil.

Veja 20 passos escolher a sua franquia de sucesso para 2018!

O livro Checklist Minha Franquia irá ajudar você a tomar uma decisão responsável e consciente.

Prepare-se para uma viagem no mundo do franchising:


Capítulo 1 – Cultura empresarial

Veja como analisar a cultura empresarial da franquia, o principal elemento de engajamento

Na hora de escolher uma franquia de sucesso no Brasil, é fundamental verificar os aspectos que envolvem o negócio. Não adianta achar que a marca é, aparentemente, bem-sucedida e que a escolha será adequada só por causa disso.

Dissecar o empreendimento é parte do processo e, portanto, nada melhor do que entender o seu núcleo. Diante da análise de cultura organizacional, é possível descobrir se o negócio é bem estruturado e se ele tem a ver com suas expectativas, por exemplo.

Ao mesmo tempo, questões importantes podem passar despercebidas. Para que isso não aconteça, observe tudo o que deve ser avaliado e descubra se a cultura empresarial da franqueadora de sucesso é adequada!

O conceito da cultura empresarial

É necessário começar entendendo o que é a cultura empresarial ou organizacional. Ela se trata do conjunto de valores que um negócio carrega e aplica em seu cotidiano. Todos os comportamentos organizacionais precisam ser orientados por essa questão, que serve para determinar a personalidade do estabelecimento.

A cultura é composta pela missão, pelos valores e pela visão. Tem a ver com propósito, direcionamento e representação viva do motivo pelo qual a empresa existe e atua no mercado.

A importância do elemento cultural

Muita gente acha que a cultura tem apenas uma abordagem teórica e que não se relaciona com a prática dos empreendimentos. Porém, a verdade é bastante diferente.

A cultura empresarial é o farol que guia o estabelecimento no oceano de possibilidades. Ela orienta como agir, com quais projetos ele precisa se envolver e como os colaboradores vivem o negócio.

É a personalidade e a alma do empreendimento, ajudando a criar uma atuação consistente e de qualidade. Ou seja, ela tem tudo a ver com as decisões que serão tomadas e os caminhos que poderão ser trilhados.

Sua definição tem que ser bem clara e feita de maneira prévia. Ainda que ela não exista inicialmente, a rotina organizacional ficará encarregada de criar uma cultura — então, é fundamental ter controle e se antecipar no fortalecimento desse elemento.

As etapas de verificação da cultura de uma franquia

Antes mesmo de pensar em produtos, valores ou resultados, é indispensável conhecer a personalidade da franquia de sucesso de baixo investimento. Saber como os negócios são feitos e como tudo é aplicado é um fator decisivo para que tudo saia conforme o esperado.

Com isso, faça uma análise minuciosa desse aspecto para descobrir se a escolha de franquia é adequada.

Ao aplicar a metodologia de checklist, alguns pontos não podem ficar de fora. Entre eles, estão:

1. Analise a missão da franqueadora de sucesso

Qual é o grande motivo para que a franqueadora exista e continue atuando no mercado? Responder a essa questão é indispensável, porque é algo que tem tudo a ver com a forma de atuação do empreendimento.

É esse aspecto que determina, por exemplo, como é a relação com os clientes, com os fornecedores e, é claro, com os franqueados. Ela ajuda a estabelecer como e por que o negócio da franquia atua, determinando aspectos relevantes.

Imagine, por exemplo, ser franqueado de uma empresa cuja missão não considera ser importante se relacionar com os clientes. Por melhor que seja o produto ou o preço, o insucesso parece ser inevitável.

Portanto, verifique qual é esse elemento e se ele é posto em prática. Mais do que ser uma frase bonita, a missão precisa ser colocada em prática diariamente.

2. Conheça qual é a visão do negócio

Comumente confundida com a missão, a visão da franqueadora também deve ser avaliada. Ela tem a ver com a percepção que a empresa tem de si em prazos diferentes.

A missão pode incluir oferecer um determinado produto ou serviço com qualidade, preço justo e diferenciação. Enquanto isso, a visão tem a ver com a ideia de se tornar o empreendimento líder no segmento em médio e longo prazo.

Mais do que um desejo, a visão funciona como um mapa. Ela demonstra aonde a franqueadora quer chegar, permitindo o direcionamento de esforços. Já que franqueadora e franqueados andam juntos, entender o destino visado é fundamental para tomar uma boa decisão de investir em uma franquia de sucesso no Brasil em 2018.

3. Identifique os principais valores

Mesmo diante da padronização, é provável que, sendo um franqueado, você se veja diante de decisões relevantes. Com isso, será preciso avaliar com cuidado para seguir pelo caminho certo.

Para manter a consistência com a franqueadora de sucesso 2018, será necessário considerar os valores. Eles são os grandes pilares da missão e da visão, garantindo que os dois aspectos sejam atingidos.

É importante que esses elementos sejam divulgados e fortalecidos, inclusive durante o treinamento. Assim, os franqueados sabem, exatamente, como agir.

4. Entenda como é a comunicação dessa cultura

Como visto, a cultura empresarial não é meramente teórica. Trata-se de uma questão que precisa ser aplicada na prática em todas as situações. Contudo, se os colaboradores e franqueados não conhecem esses aspectos, a aplicação se torna impossível.

Para não correr o risco de ter uma cultura que fica apenas no campo das ideias, é necessário verificar a capacidade de comunicação da franqueadora. Analise se a empresa se preocupa em divulgar e fortalecer esse elemento, entenda se tudo está amplamente estabelecido.

Tal aspecto deve ser abordado no site, no manual do franqueado, em encontros e treinamentos em geral. Todos devem conhecê-la e, mais que isso, vivê-la.

5. Pondere sobre a complexidade

Já que a absorção e a aplicação da cultura são tão importantes, é indispensável que ela seja simples de ser entendida. Não adianta ter dezenas de frases de efeito se, no final, elas não querem dizer muita coisa.

Para garantir que a franqueadora de sucesso entenda a importância da cultura e a utilize corretamente, veja se ela segue uma linha única e se é, de fato, aplicável. Isso demonstrará qualidade e robustez, ampliando as chances de ter bons resultados.

6. Não ignore a sua identificação

Pode acontecer de a cultura ser definida e divulgada corretamente e, ainda assim, não ser adequada para a sua escolha da franquia de sucesso de baixo investimento. Isso ocorre quando a franqueadora tem uma abordagem muito diferente do que você realmente acredita.

Então, pergunte-se se você está interessado nesse elemento e se ele tem a ver com o que você se identifica. Analise se ela tem um DNA vencedor, se há a preocupação com os clientes e se ela se relaciona com sua atuação de interesse. Como colocá-la em prática é imperativo, esse alinhamento é muito necessário.

Ao fazer a análise, será possível compreender se a franquia tem uma cultura empresarial adequada e com chances de êxito. Dessa forma, o processo de decisão ganha um reforço importante, favorecendo o sucesso em 2018.


Capítulo 2 – Qualidade de vida

A qualidade de vida é importante ao empreender e deve ser avaliada na escolha da franquia de sucesso no Brasil


Tornar-se empreendedor, ainda mais com uma franquia, tem tudo a ver com o desejo de ter o próprio negócio e conseguir maior independência. Além de todas as questões práticas, como as relacionadas ao mercado, é necessário pensar na qualidade de vida oferecida pela sua escolha.

O ideal é que se tornar um franqueado tenha a ver com o equilíbrio dos vários aspectos da sua vida, trazendo resultados melhores do que o trabalho tradicional. Como se trata de um conceito subjetivo, é uma avaliação que precisa ser feita de forma individual antes de selecionar a franqueadora sucesso 2018.

Para ajudar nessa tarefa, veja quais são os pontos que devem ser considerados e entenda como a decisão certa traz qualidade de vida. Confira o post!

A relação entre a escolha da franquia e a qualidade de vida

Ainda que ser franqueado traga maiores chances de sucesso do que um negócio próprio, essa ação demanda muita dedicação e uma atuação consistente. Como ela exige atenção e uso do seu tempo, o ideal é que tudo seja feito de maneira agradável, com uma percepção interessante de como se encaixa no ambiente.

A franquia de sucesso de baixo investimento certa permitirá que você execute as tarefas adequadamente, gerando satisfação em alto nível. Isso contribui para a motivação e para o engajamento, levando a um aumento da qualidade de vida.

A decisão, portanto, deve ser feita considerando a importância de ser um empreendedor satisfeito com a própria atuação. Ao final, a franqueadora adequada permitirá que você tenha uma abordagem muito melhor.

Os benefícios dessa análise

Ter qualidade de vida é fundamental para ser feliz. Em uma rotina cada vez mais corrida, ter tempo para tudo e agir segundo seus objetivos é algo que faz toda a diferença.

Quando a franqueadora é analisada sob essa ótica, fica fácil agir com engajamento. Estando satisfeito com a atuação no mercado, os resultados são construídos com menor dificuldade.

A consideração sobre a qualidade de vida também é importante para gerar um bom equilíbrio entre os vários aspectos da vida. Tomando a decisão certa, é possível alinhar vida pessoal, familiar e profissional, garantindo que cada elemento tenha o tempo certo para acontecer.

Eventualmente, isso reflete no atendimento ao cliente, que fica muito fortalecido. Com a satisfação e a fidelização, os resultados decolam.

Os pontos de avaliação de uma franqueadora de sucesso

Para avaliar a franqueadora por esse critério, é fundamental levantar algumas questões. Elas se relacionam com a forma de operação do negócio e com fatores que vão além do contrato.

Nem sempre essas características são óbvias e, por isso, é tão importante usar essa ótica no momento de fazer a escolha. Para favorecer esse aspecto do seu cotidiano, veja quais são os pontos que devem ser considerados:

1. Avalie se há alinhamento com os seus objetivos

Ser um empreendedor tem a ver com perseguir interesses e buscar atingir certos resultados. Para isso, a empresa tem que contemplar tais questões, de modo a garantir o sucesso e a satisfação.

Portanto, é fundamental avaliar se há alinhamento com os seus objetivos. Analise pontos como o local e a forma de atuação de trabalho, ramo do mercado e necessidades primordiais.

Isso permite que haja um entendimento sobre as demandas da atividade, de modo a verificar se elas são condizentes com o que você espera dessa escolha.

2. Verifique a região de trabalho

A qualidade de vida também está diretamente relacionada ao local onde o negócio estará. Em franquias que exigem um ponto comercial, é relevante verificar se há a possibilidade de ter uma unidade perto da sua casa.

Isso impede que você tenha que passar muito tempo no trânsito ou que não tenha os conhecimentos necessários sobre a área para obter bons resultados.

Mesmo as home based precisam de uma análise nesse sentido. É fundamental compreender, por exemplo, qual é a região a ser coberta pela atuação de mercado. Assim, dá para garantir o máximo de conveniência.

3. Considere o período de trabalho

Outra questão determinante para a satisfação é o tempo trabalhado. Em geral, a franquia exige dedicação full time no momento inicial, de modo a consolidar o empreendimento.

Sendo assim, é importante compreender, por exemplo, a necessidade de trabalhar no horário comercial e/ou de atender durante os finais de semana.

Mesmo uma home based, que tem maior flexibilidade, exige um tempo dedicado, principalmente para responder às solicitações dos clientes.

Além de considerar as horas diárias, pense em folgas e até em possíveis férias. Porém, tenha uma visão realista, já que, no começo, é natural ter que oferecer uma dedicação bem maior a essa abordagem rumo ao sucesso.

4. Pondere os impactos na vida familiar

Um dos fatores da qualidade de vida tem a ver, justamente, com a vida familiar. Equilibrando profissão e tempo com a família, é possível obter momentos agradáveis e fortalecer os relacionamentos.

A escolha da franquia tem que considerar esse aspecto, como ao compreender se essas pessoas podem ser envolvidas. Em caso afirmativo, é comum haver maior integração familiar, por meio do compartilhamento de assuntos.

A exigência de dedicação é outro fator predominante para conquistar bons relacionamentos familiares. As que requerem uma abordagem full time, mas que têm boas chances de sustentação, normalmente, contribuem para um relacionamento familiar otimizado em longo prazo.

5. Pense em qual é a lucratividade

Outro ponto que não deve ser desconsiderado é a capacidade de geração de lucro da proposta da franqueadora. Isso é importante porque ela representa a remuneração da atuação, o que impacta a forma de vida em vários sentidos.

Uma franquia muito lucrativa, em geral, garante melhor capacidade financeira, maior conforto e qualidade de vida diferenciada. Ao mesmo tempo, uma opção barata — como uma microfranquia de sucesso em 2018 — acelera o retorno, trazendo mais tranquilidade e segurança financeira.

Portanto, é conveniente avaliar qual é o nível de renda que você deseja ter e pesquise junto aos outros franqueados quais são as possibilidades de ganhos. Isso garante a escolha da opção relacionada a esses interesses, maximizando a satisfação.

A partir dos pontos vislumbrados acima, é possível verificar se a franquia oferece o nível de qualidade de vida desejado. Assim, a decisão será muito mais adequada e satisfatória.


Capítulo 3 – Seu perfil

O seu perfil determina o sucesso na franquia e, por isso, deve ser considerado na hora da escolha

Tornar-se um franqueado é uma responsabilidade que precisa ser considerada com cuidado. Ao assumir esse compromisso, será preciso dar atenção a uma série de obrigações, além de agir de maneira alinhada à franqueadora.

Por causa dessas questões, o seu perfil precisa ser considerado. Ele estabelecerá quais são os pontos cruciais para a escolha, se você está preparado para determinado atuação e até se cumpre as exigências da empresa.

Veja o que analisar sobre o seu perfil e compreenda quais são os pontos mais importantes dessa abordagem.

O papel do perfil do franqueado na escolha

Na hora de selecionar uma franquia, quem empreende tem o maior poder de decisão. Afinal, entre tantas opções, é ele quem determinará qual é a alternativa pela qual deseja atuar.

Para que essa decisão seja tomada corretamente, a análise de perfil é muito importante. É por meio dela que o futuro empresário descobre se ele se encaixa no modelo de negócio e no ramo de atuação. Assim, é viável tomar uma decisão precisa.

O que nem todo mundo sabe é que o futuro franqueado também é escolhido, da mesma forma que seleciona. Dependendo do seu conjunto de característicos, você pode selecionar uma franquia, mas terminar não fazendo parte da rede.

Isso porque o sucesso em 2018 depende de um esforço coletivo. A franqueadora também está interessada no bom desempenho de cada unidade, já que isso fortalece a marca. Sendo assim, a análise de perfil é feita pelos dois lados dessa moeda, sendo um fator decisivo para a decisão.

Por que não ignorar esse elemento

Portanto, essa análise é um passo importante e indispensável da escolha da franquia. Do lado da empresa, o processo permite que a franqueadora defina se um pretenso franqueado é ou não adequado para o modelo de negócio proposto.

Para o integrante da rede, essa etapa traz uma segurança extra e que é muito necessária para consolidar bons efeitos. Em primeiro lugar, é uma maneira de reduzir as opções, garantindo que somente aquelas alinhadas com as características pessoais sejam consideradas.

Também é uma forma de gerar maior satisfação com o trabalho. Estando em um local que respeita e valoriza o seu perfil, as atividades se tornam mais simples e os resultados passam a ser muito interessantes.

Outra questão fundamental tem a ver com as chances de obter bons efeitos. Quando a franquia é adequada ao perfil, há maiores probabilidades de o franqueado ter sucesso na atuação. O investimento, então, torna-se certeiro.

Como saber se o seu perfil está de acordo com a franquia

Já que essa tarefa é tão importante, observação de características deve ser feita logo no começo do processo de seleção. Contrapor as suas qualidades às exigidas permite que você tenha um entendimento completo de qual escolha é a mais adequada para o seu caso.

Felizmente, essa etapa não é complicada e pode ser feita considerando os seguintes aspectos:

1. Conheça qual é o perfil solicitado pela franqueadora

Tudo deve começar com o entendimento sobre qual é o perfil exigido pelo empreendimento. De certo modo, funciona como um processo seletivo de emprego. A empresa estabelece, por exemplo, quais são as características desejadas para uma atuação consistente.

Se você não tiver experiência ou formação no ramo, não se preocupe. É muito difícil que uma franqueada exija essas qualidades. Por outro lado, é necessário pensar em questões como comunicação, trabalho em equipe e alcance de resultados.

Pesquise as qualidades desejadas e veja se elas estão de acordo com o seu leque de características. Isso ajuda a fazer uma filtragem inicial, melhorando o direcionamento da escolha.

2. Analise se você se identifica com a cultura organizacional

A cultura da empresa tem a ver com a missão, os valores e a missão do negócio. Ela precisa ser vivida diariamente e ser colocada em prática com grande intensidade. Em uma franquia, isso é ainda mais destacável e não há como fugir desse elemento.

Caso você opte por uma cuja cultura não está de acordo com os seus pensamentos, segui-la é praticamente impossível. Inclusive, se a franqueadora não demonstra ter uma cultura clara e bem comunicada, esse deve ser encarado como um ponto de alerta.

Identifique se a forma de atuação da empresa e se as diretrizes que a orientam têm a ver com o que você espera e acredita. Enxergar-se nesses elementos é fundamental para que o trabalho traga satisfação e leve ao eventual alinhamento.

3. Reconheça se você trabalha bem dentro de estruturas hierárquicas

Ter uma franquia é, sem dúvidas, uma forma de tomar as rédeas do seu destino profissional. Você pode escolher o ramo de atuação e a empresa, tendo maior liberdade do que ao ser assalariado, por exemplo.

Contudo, convém lembrar que isso não significa autonomia total — e isso não é ruim. É a franqueadora quem estabelece os pontos de padronização e é ela quem dá a última palavra sobre mudanças ou acréscimos.

Ou seja, é preciso estar disposto a realizar um esforço colaborativo para que os resultados sejam alcançados. Para quem está acostumado a fazer tudo sozinho, certamente essa não é a melhor opção.

Em vez disso, é fundamental trabalhar bem dentro de uma hierarquia e, principalmente, em equipe. A partir da atuação alinhada com a franqueadora e com outros empresários da rede, as chances de êxito se multiplicam.

4. Pondere se o seu perfil é semelhante ao dos franqueados de sucesso

Em qualquer franquia considerada, há as unidades que se destacam e que têm melhor desempenho. Isso é mérito da marca, mas, também, tem a ver com o franqueado. Essa diferença na performance, normalmente, está associada a um perfil adequado e orientado para a atuação do negócio.

Sendo assim, vale a pena descobrir se você se identifica com esses empreendedores. Concluir que as suas qualidades e os seus interesses são semelhantes aos de um franqueado de grande sucesso, normalmente, leva a uma maior chance de obter uma performance elevada.

Portanto, não deixe de procurar os mais bem-sucedidos de uma rede e faça um cruzamento das qualidades deles com as do seu perfil.

5. Pense se você se dá melhor com venda ativa ou receptiva

O que também deve ser considerado na escolha da franquia é o tipo de venda ideal para as suas características. Isso determina se o ideal é recorrer ao comércio tradicional ou à prestação de serviços, limitando as opções.

Caso você tenha maior interesse no varejo e se dê melhor com a etapa que, de certo modo, parte do cliente, apostar no comércio é a pedida certa. Porém, tenha em mente que ele gera custos muito maiores, sendo uma opção arriscada.

Por outro lado, se você tiver um perfil condizente com uma venda ativa, dinâmica e que procura reconhecer e atender às necessidades dos clientes, a prestação de serviços é ideal. Com essa análise, portanto, ficará mais fácil decidir qual ramo adotar.

Considerando o seu perfil de atuação, será possível escolher a franquia certa com maior precisão. Assim, as chances de uma franquia de sucesso em 2018 e satisfação aumentam, levando a resultados diferenciados.



Capítulo 4 – Lei do Franchising

A Lei do Franchising é garantia para o franqueado e para a franqueadora e deve integrar a decisão.

Participar de uma franquia é uma atividade que, idealmente, deve ser benéfica para todas as partes envolvidas. A franqueadora consegue aumentar o alcance de marca, gerando renda passiva e melhorando os resultados. O empresário que compõe a rede poderá usar um modelo de negócio validado e uma marca já reconhecida. Enquanto isso, os clientes terão acesso facilitado ao que desejam.

Para que tudo isso aconteça de forma adequada, foi criada a Lei do Franchising. Trazendo um apoio jurídico indispensável para equilibrar essa relação, ela precisa ser considerada no momento da escolha.

Descubra o que você deve observar na legislação e entenda a importância de se preocupar com a parte jurídica e contratual de sua iniciativa como franqueado.

A existência da Lei do Franchising

A Lei do Franchising ou Lei de Franquias (Lei nº 8955/94) foi criada para regulamentar a relação entre franqueadores e franqueados. Esse é o principal dispositivo legal para essa abordagem, estabelecendo a natureza do contrato e todas as características importantes do processo.

Ela foi criada, justamente, para trazer maior segurança e amparo para ambas as partes. Como, nos anos 90, as franquias começaram a ganhar força no Brasil, padronizar essa atuação passou a ser necessário.

Ainda que ela já tenha mais de 20 anos, permanece sendo adequada e atual. Com isso, qualquer pessoa que deseje se tornar franqueada precisa reconhecer seus aspectos, de modo a ter a certeza de atuar dentro da lei.

Os principais pontos da legislação

Como é o principal mecanismo para regulamentar essa relação, a lei trata desde questões teóricas até a parte prática do relacionamento entre franqueadora e franqueados.

Em primeiro lugar, ela estabelece que haja a cessão de marca e de conhecimentos para atuação no mercado. Embora as atividades sejam descritas em contrato e devam ser seguidas pelo franqueado, não há a formação de um vínculo empregatício.

Outra questão trazida por essa lei é a necessidade de utilizar a circular de oferta de franquia (COF). Esse é o documento mais importante do processo, apresentando todos os aspectos e características de atuação.

Para que o empreendedor tome a decisão correta, é fundamental que ele tenha as informações necessárias. Sendo assim, é obrigatório que a empresa forneça um panorama da própria situação.

É preciso apresentar os dados financeiros, as pendências judiciais e uma descrição detalhada do negócio e das atividades. Para completar, a franqueadora deve estabelecer um perfil para os participantes da rede e os requisitos necessários, aumentando as chances de sucesso.

Outro ponto previsto pela lei é que todos os valores devem ser descritos. Além do capital inicial aproximado, é preciso dispor a taxa de franquia, os royalties, a taxa de propaganda e assim por diante.

Para não comprometer o desempenho do empreendimento, todas as informações são sigilosas. Com a expiração do contrato, também fica disposto que o franqueado não pode atuar no setor da mesma forma, evitando a concorrência desleal.

Por fim, a Lei do Franchising serve para estabelecer quando tudo pode ser anulado. Em geral, isso ocorre quando a assinatura não tem testemunhas e/ou quando qualquer um desses pontos não é cumprido como o previsto.

Como avaliar a franqueadora em relação à Lei do Franchising

Já que a lei existe para trazer segurança para os envolvidos nesse relacionamento comercial, é justo fazer uma avaliação da empresa segundo esse aspecto. Ou seja, durante o processo de escolha, esse dispositivo funciona como um critério para decidir pelo empreendimento correto.

Para não ter dificuldades nessa etapa, veja quais são os pontos que devem ser observados:

1. Verifique se as obrigações são cumpridas

Para que a franqueadora traga qualidade e segurança, é indispensável que ela cumpra com todas as obrigações previstas por lei. Se ela não apresenta os dados necessários para a tomada de decisão, por exemplo, esse é um mau sinal.

Porém, fazer esse reconhecimento só será possível ao conhecer a lei. Além desses pontos apresentados anteriormente, vale a pena ler a íntegra deste dispositivo legal.

Explore todos os artigos e condições, de modo a ter uma visão clara sobre o que deve ser observado no processo de escolha.

2. Reconheça a existência da COF

Como dito, a circular de oferta de franquia é o documento mais importante. Ela determina como o contrato será feito e quais são as questões que precisarão ser observadas na atuação no mercado.

Identifique, portanto, a apresentação desse elemento acontece de forma clara e precisa, mediante a solicitação para entrada na rede.

Um jeito simples de saber isso é analisar se a empresa está vinculada à Associação Brasileira de Franchising (ABF). Apesar de essa entidade não regulamentar a atividade, serve como orientação e todas as que são associadas a ela oferecem a COF.

3. Analise o tempo entre entrega da COF e assinatura de contrato

Para que a decisão seja tomada da maneira certa, a lei prevê que a COF tem que ser entregue, no mínimo, 10 dias antes de firmar a relação. Isso permitirá que o empresário avalie todas as condições e tome ciência dos elementos. Assim, poderá fazer uma escolha muito mais adequada.

Dessa maneira, é indispensável verificar se há um tempo de “incubação” entre a entrega do documento e a formalização do contrato. Do contrário, um dos artigos da Lei do Franchising não é seguida, disparando um sinal de alerta.

4. Identifique se há a cobrança de valores prévios

À franqueadora, é permitido fazer cobranças variadas, como a taxa de franquia, que garante a concessão de uso da marca e os royalties. A taxa de propaganda, por sua vez, rateia os custos com divulgação entre a rede, garantindo melhor desempenho.

Porém, não é permitida a cobrança de valores entre o envio da COF e a assinatura do contrato. A exigência de pagamento só acontece com tudo firmado e, portanto, a existência de taxas prévias é ilegal.

Caso você se depare com essa situação, pode rescindir a relação, exigir a devolução do dinheiro e até processar por perdas e danos.

5. Verifique a transparência de atuação

Acima de tudo, a franqueadora deve agir de um jeito transparente. Ela precisa fornecer as informações corretas e ter processos claros, a começar pela assinatura do contrato.

Portanto, analisar o cumprimento da lei é um aspecto relevante. Se o empreendimento tenta contornar condições legais ou se faz adições que não existem à legislação, provavelmente ela não age de um jeito transparente.

Ao considerar os aspectos da Lei do Franchising, a sua decisão sai favorecida. Escolhendo uma empresa que segue todos os dispositivos legais, há maior segurança e, possivelmente, melhores chances de sucesso.


Capítulo 5 – Circular de Oferta de Franquia

A Circular de Oferta de Franquia traz os direitos e deveres e deve ser avaliada antes da assinatura do contrato.

Quando um franqueado deseja fazer parte da rede de uma marca, ele precisa ter conhecimento completo do que o espera. Para evitar surpresas desagradáveis após a assinatura do contrato, a Circular da Oferta de Franquia tem que ser divulgada previamente.

Esse documento traz todos os pontos relevantes para a operação na rede, permitindo que o empreendedor tome uma decisão informada. Mais do que isso, é uma obrigatoriedade prevista pela Lei do Franchising.

Para te ajudar na avaliação, veja qual é a relevância da Circular de Oferta de Franquia e entenda como usá-la para escolher a melhor franqueadora.

A importância da Circular de Oferta de Franquia

A COF é o documento mais relevante na hora de selecionar uma franquia. Ela traz as informações exigidas para reconhecer se a franqueadora é adequada e se cumpre com todas as obrigações.

Ele é tão necessário que é previsto pela Lei do Franchising. Ou seja, para que o negócio obedeça ao que é disposto na legislação, é preciso que a circular seja apresentada em momento oportuno.

Sem a COF, a segurança no acordo é praticamente nula. Com isso, ela não deve ser desconsiderada.

A influência desse documento na escolha da franqueadora

A forma como a Circular de Oferta de Franquia se apresenta tem tudo a ver com a impressão transmitida pelo responsável pela rede de franquias. Ou seja, uma COF bem alinhada e explicativa demonstra a qualidade do empreendimento.

É importante entender que o item é apenas um dos passos da análise. Ele é obrigatório e, portanto, a sua apresentação não é o único critério para levar à seleção de uma empresa. Por outro lado, se a franqueadora não o possui, é melhor partir para outra escolha.

Também é graças a essa circular que fica fácil comparar várias opções. Sendo um elemento descritivo e completo, dá para contrapor os diversos estabelecimentos e concluir qual é o mais indicado para os seus interesses e necessidades.

Os fatores da COF que devem ser analisados

Para usar esse documento de um jeito estratégico, ele deve ser analisado segundo alguns critérios. Com a atenção aos elementos certos, é possível definir se uma possibilidade é a adequada para você.

As principais questões para verificar são:

1. Analise se ela é entregue no prazo correto

Por lei, a Circular de Oferta de Franquia precisa ser fornecida ao pretenso franqueado com, no mínimo, 10 dias de antecedência antes de fechar o contrato. Ou seja, a franquia não pode entregar a COF em um dia e solicitar a assinatura no mesmo momento ou algumas horas após.

Além de ser contra lei, isso atrapalha o processo de aprofundamento nos itens que compõem o documento. Com isso, se o negócio não cumpre esse período mínimo de espera, esse é um indício negativo.

2. Verifique se ela traz as informações da franqueadora

Partindo para o conteúdo, um dos aspectos iniciais deve tratar dos dados da franqueadora. Essa é uma questão prática e determinante para saber se a escolha é adequada.

É importante que seja apresentado o histórico da empresa e dos sócios, demonstrando o balanço dos últimos meses e como ocorre a operação no mercado. Também devem ser apresentadas as possíveis questões judiciais e a trajetória de performance.

Assim, é viável descobrir se o negócio tem robustez e consistência, o que aumenta as chances de sucesso.

3. Analise a existência de informações sobre a rede

Na sequência, os dados sobre a rede precisam ser expostos claramente. É necessário que o negócio demonstre quais são os ex-franqueados e os atuais, de modo a reconhecer o tamanho e a distribuição da rede. Isso é importante para ter a certeza de que a marca não está saturada na região de interesse, por exemplo.

Também deve haver um detalhamento da franquia. Nessa etapa, são descritos o cotidiano e os pormenores organizacionais, de modo a ter uma visão ampla.

Além de tudo, a empresa deve deixar claro qual é o perfil desejado para o negócio e quais são os requisitos de envolvimento. Microfranquias, por exemplo, recomendam que não haja delegação de tarefas, de modo a não comprometer a lucratividade.

4. Procure informações sobre os custos

Partindo para o setor financeiro, a COF precisa conter todos os dados que tratam dos gastos envolvidos. Inicialmente, isso vem por meio do detalhamento do investimento inicial total. Também são determinadas outras taxas, com os royalties, o Fundo Nacional de Propaganda, os seguros mínimos, materiais publicitários e sistemas.

Para completar, são demonstrados os custos logísticos relacionados, os valores de produtos e/ou serviços, os preços de equipamentos e despesas gerais. Tudo deve ser calculado e apresentado, também, na forma de valor total.

5. Entenda quais são as condições de atuação

Igualmente importante, a operação deve estar clara neste documento. É necessário, por exemplo, que os fornecedores sejam apresentados. No caso de haver alternativas homologadas, é preciso compreender os custos envolvidos, bem como a capacidade de fornecimento e os prazos.

Também é recomendado que todos os serviços sejam descritos. É nessa etapa em que ficam claras as atividades desempenhadas na franquia e quais são as exigências. Já as condições territoriais estipulam se há exclusividade ou preferência no local e se é possível atuar fora de determinada região.

Para completar, são apresentados os treinamentos, como eles funcionam e se são contínuos. Quanto maior for a preocupação da empresa nesse sentido, melhores são o alinhamento e a preparação.

6. Levante informações legais

Acima de tudo, a COF tem uma importância legal. É graças a ela que é possível garantir máxima proteção para ambos os lados, permitindo que tudo ocorra conforme manda a lei.

Nesse sentido, é necessário checar, por exemplo, se há detalhamento da minuta do contrato. Isso deve ser feito de maneira completa, favorecendo o reconhecimento dos deveres e dos direitos do franqueado.

Ela também deve estipular questões como a proibição ou a permissão de exercer atividades concorrentes e a quarentena após um distrato. Assim, nenhum integrante poderá executar concorrência desleal, de modo a não prejudicar a rede. Somando esses aspectos aos demais elementos, a COF pode ser analisada de maneira com completa.

Fazendo uma perícia minuciosa na Circular de Oferta de Franquia, a sua decisão sobre a franqueadora será favorecida. Você garante maior segurança e chances ampliadas de fazer parte da rede que for perfeita para os seus interesses e vontade de investir.


Capítulo 6 – Identificação com a marca

Ter identificação com a marca é um dos elementos-chave para escolher a franquia correta.

Identificar-se com algo significa se sentir representado por determinado elemento, bem como enxergar os seus valores. Quando uma pessoa se identifica com a outra, normalmente é porque elas têm gostos e visões semelhantes. No mundo dos negócios, acontece algo parecido.

Ao passar por essa etapa, os clientes compram com facilidade e com maior intensidade. Porém, o empreendedor também deve se identificar com o próprio negócio. No caso da franquia, estar alinhado à marca é um dos elementos cruciais para o sucesso e para o bom desempenho.

Para entender o impacto da identificação com a marca e como analisá-la, continue lendo e descubra o que observar.

O papel desse relacionamento com a marca franqueadora

Um dos fatores relevantes para decidir se a franquia é a opção certa para você é a identificação com a marca. Isso exige uma avaliação profunda, em diferentes aspectos, sobre esse elemento.

Por si só, isso é algo que aumenta a segurança, pois você saberá mais sobre o empreendimento. Além de tudo, é um jeito de prever como será a sua atuação à frente da franquia.

Caso a identificação seja verdadeira e consistente, as chances uma franquia de sucesso no Brasil disparam. É claro que ainda há um longo trabalho pela frente, mas, no mínimo, há a garantia de que será menos complexo encarar os desafios.

Outro ponto importante é que, diante da identificação, fica fácil se integrar completamente à franqueadora. Isso contribui para a padronização, de modo a gerar uma atuação muito consistente.

O que acontece ao escolher uma franquia de sucesso de baixo investimento que não oferece essa identificação

Abrir uma franquia de sucesso 2018 é uma tarefa que exige tempo, dedicação e esforço. Além de tudo, é preciso mergulhar no modelo de negócio e buscar o aprendizado constante, pois esse é o único caminho para o crescimento.

Agora, imagine fazer tudo isso, diariamente, com uma empresa que não te representa. Não apenas você não acredita nos mesmos valores, como também não sente que aquele espaço é perfeito para você.

Se isso soa como uma tortura, pois saiba que é exatamente isso que acontece quando há a falta de identificação. A tarefa de empreender se torna muito árdua e, definitivamente, menos prazerosa.

Além de tudo, para vender é preciso acreditar na sua oferta. Do contrário, os clientes também não comprarão ou contratarão aquilo que chega até eles. Portanto, essa falta de sincronia é capaz de afetar — negativamente — os resultados.

Isso leva a um retorno de investimento mais difícil e aumenta as chances de insucesso, mesmo que a expectativa fosse de bom desempenho.

Os fatores para analisar sobre a identificação com a marca da franquia de sucesso

Mas, afinal, como saber se você se identifica com uma franquia a ponto de trabalhar de maneira otimizada? Nessa tarefa, é fundamental cuidar de alguns pontos para que a escolha seja muito bem embasada.

Quanto mais aprofundada for a análise, melhor será a tomada de decisão. Portanto, veja como descobrir se há a identificação:

1. Avalie as questões legais

Para evitar dores de cabeça no futuro, é imprescindível que todos os aspectos legais estejam adequados na franqueadora. Quando se fala em marca, o registro é parte fundamental, porque garante que tudo é regularizado.

Além disso, vale verificar se ela é de uso exclusivo. Do contrário, outras empresas podem usar o mesmo nome, o que gera confusão entre os clientes.

Por outro lado, uma marca que está definitivamente registrada e para uso exclusivo provavelmente não sofrerá com questões legais ou obrigações de troca. Assim, haverá maior tranquilidade para empreender e obter bons efeitos.

2. Considere a visibilidade

Outro fator relevante é que é necessário entender como a marca é percebida e, principalmente, se ela tem um bom alcance. Talvez ela não esteja plenamente consolidada e famosa no mercado, ainda mais se for de um nicho específico. Porém, é relevante que ela tenha, no mínimo, algum nível de reconhecimento.

Se ela estiver em crescimento e em consolidação, é fundamental que a franqueadora conte com um bom plano de posicionamento. Não há nenhum problema em querer crescer com a empresa, mas é importante que tudo esteja bem fundamentado.

Além disso, considere se ela já está estabelecida em sua região. Se não estiver, compreenda qual será o nível de dificuldade para torná-la conhecida e procurada pelas pessoas.

3. Pense nas suas experiências anteriores

Para tornar a fortalecer essa análise, avalie se você já foi cliente da empresa ou até se conhece alguém que tenha sido. Essa é uma visão única que você pode ter do seu alvo de empreendimento, pois o coloca na pele dos seus futuros clientes.

Busque entender se o atendimento te agradou ou se há muitos pontos que você mudaria. Com uma avaliação sincera e justa, é possível definir se a escolha é, de fato, interessante.

4. Verifique a reputação e se há fãs

Também é fundamental entender como é a experiência de outras pessoas com a marca. Afinal, a sua visão pode não ser representativa do restante do mercado. Para ter uma ideia concreta, busque em sites específicos para conhecer se há reclamações sobre a empresa e como os problemas são administrados. As redes sociais também podem servir para definir se essa opção respeita e atende corretamente os consumidores.

Outro excelente termômetro para essa questão é a quantidade de fãs. Se a franqueadora consegue reunir pessoas que estão tão satisfeitas a ponto de defender o negócio e divulgar os produtos, então esse é um bom sinal. Portanto, veja se a alternativa tem os defensores da empresa e se conta com gente que é, de fato, muito satisfeita com os itens ou serviços.

5. Entenda como você se posiciona em relação às marcas das franquias de sucesso que você está analisando.

Não menos importante, é chegada a hora de entender qual é a sua verdadeira opinião sobre a marca. Aprofunde-se nos valores e na operação do empreendimento e descubra se isso tem a ver com o que você também acredita.

Em alguns casos, esse fator é tão intenso que os empreendedores chegam a tatuar o logotipo na própria pele. Embora não seja necessário chegar a esse extremo, é preciso estar disposto a fazer o empreendimento crescer e a aumentar seu impacto positivo. Somente assim os resultados serão bons para todos os envolvidos.

Diante da identificação com a marca, a escolha da franquia de sucesso de baixo investimento sai favorecida. Ao selecionar uma franqueadora adequada e que tem a ver com o que você acredita, o sucesso fica muito mais próximo.


Capítulo 7 – Operação própria

A franqueadora precisa do know-how para levar a rede ao sucesso. Por isso, a análise operação própria deve fazer parte da escolha

Ter o próprio negócio, fazê-lo crescer e torná-lo bem-sucedido não é uma tarefa simples. É preciso passar por várias etapas, que vão desde a concepção da ideia inicial até a elaboração e a execução de um bom plano de negócios.

Ao escolher uma franquia de sucesso barata e lucrativa em 2018, vale a pena considerar exatamente esse aspecto. Ou seja, reconhecer se a franqueadora tem ou teve operação própria faz a diferença para a decisão. Por mais que esse não seja o fator totalmente determinante, ele diz muito sobre a sua escolha.

Portanto, veja o que considerar a respeito da operação própria da franqueadora e entenda o papel desse aspecto.

A relação entre operação própria e o sucesso

Como dito, a operação de um negócio próprio é complexa. Mesmo com toda a preparação e com a estrutura certa, não é simples conseguir chegar ao êxito no mercado. Por isso, uma empresa que tem um desempenho satisfatório serve de expoente para quem também quer empreender.

Se o empreendimento em questão for a franqueadora de sucesso, tudo é ainda melhor. Isso significa que o estabelecimento se consolidou primeiro e franqueou depois. Ou seja, os responsáveis têm uma visão completa e concreta do que acontece, de fato, no mercado.

Isso é muito importante porque traz experiência prática e, principalmente, o famoso know-how. Mais do que entender de negócios na teoria, a operação própria faz com que a empresa saiba como tudo funciona na prática.

Tal questão faz toda a diferença para o sucesso, tanto da franqueadora quanto da rede de franqueados. Com os conhecimentos certos, fica fácil atingir resultados que atendem às expectativas.

Os momentos em que a experiência é bem-vinda

Inclusive, a experiência é um elemento muito bem-vindo e necessário em várias ocasiões. Quando o franqueado encontra um desafio quanto ao baixo movimento ou queda nas vendas, por exemplo, a franqueadora pode ajudar com orientações pertinentes. Afinal, o sucesso de um está diretamente atrelado à boa performance do outro.

Esse elemento também é muito importante na hora de oferecer treinamento e de aumentar a capacitação e o desenvolvimento empresarial. Ao saber do que o mercado precisa e o que os consumidores esperam, é mais fácil direcionar a atuação e obter bons efeitos.

Ou seja, a experiência vem a calhar tanto para as dificuldades quanto para a atuação cotidiana. Poder contar com o know-how da franqueadora, afinal, faz toda a diferença.

O que avaliar a respeito da operação própria da franqueadora

Entre tantos pontos que devem ser considerados, é comum que o empreendedor se esqueça de olhar para a questão da operação própria ao escolher uma franquia de sucesso 2018. Contudo, se a ideia é ter uma compreensão clara e completa, o correto é pensar nesse elemento como um dos itens para tomar a decisão.

A tarefa de avaliação não é difícil, mas exige uma abordagem crítica para conhecer o negócio além da rede de franquia. Para não errar, veja o que considerar:

1. Descubra se há e como funciona a unidade própria

Para começar, é preciso reconhecer se, de fato, o empreendimento tem uma atuação própria. Pode acontecer de essa opção independente não ocorrer e, então, você terá que lidar com o fato que a franqueadora é apenas isso.

Por outro lado, se a operação própria estiver presente, procure conhecer como essa unidade funciona ou funcionava. O indicado é fazer uma análise de histórico, que deve ir desde a composição dos sócios até os diferentes modelos de negócio empregados.

Não deixe de considerar se a região de operação própria é parecida com a sua. Pense no perfil do público alvo e nos interesses de quem consome. Caso eles sejam semelhantes à da sua área, esse pode ser um indício de sucesso pela frente.

2. Avalie o tempo de mercado

Também é fundamental verificar há quantos anos a marca existe. Isso tem dois motivos principais e o primeiro é conhecer o nível de experiência. Como tudo muda com grande intensidade, estar há vários anos atuando significa capacidade de dinamismo, de adaptação e grande robustez.

Além disso, o franchising de sucesso exige um período mínimo para se estabilizar. Logo no primeiro ano, essa expansão ainda passa por uma longa fase de aprendizado e de erros. Portanto, o ideal é que a marca já atue há algum tempo no mercado e, principalmente, que ela já esteja estabilizada como franqueadora.

3. Conheça os resultados antes e depois do franchising

Outro ponto para dar suporte à sua decisão é o conjunto de efeitos alcançados tanto antes quando após se tornar uma franqueadora. Os efeitos prévios incluem questões como rentabilidade na operação própria e profissionais envolvidos no empreendimento.

O resultado de interesse inclui uma estabilização e um crescimento que levou ao passo natural do franqueamento. Caso o negócio só tenha boa performance após o franchising, esse não é um bom indício.

Isso porque significa que a empresa não é tão bem-sucedida por conta própria e/ou que, provavelmente, o maior lucro vem de novos franqueados — e não de seus números de vendas. Portanto, fique atento para verificar se a marca já era consolidada antes.

4. Examine a origem e a possibilidade de duplicação do know-how

O know-how é um dos grandes diferenciais de ter uma franquia. Poder acessar a base de conhecimento de uma empresa bem-sucedida é uma ajuda e tanto para obter o próprio êxito. Contudo, é necessário ficar atento às características desse elemento.

Em primeiro lugar, verifique se ele foi construído em cima de experiências práticas. Se os diretores, consultores e gestores não têm entendimento prático, a transmissão de conhecimento será prejudicada.

E, por falar nisso, é importante que o know-how seja duplicável. Dessa maneira, ele deve ser transmitido e absorvido com facilidade, mesmo por quem não tem experiência no mercado de atuação. É isso que garante o sucesso da operação e faz com que a rede siga um padrão bem-sucedido.

5. Entenda como acontece o processo de inovação

Manter-se em uma posição no mercado é menos eficiente do que parece. Diante das modificações, todo negócio precisa estar pronto para mudar. Como você sabe, uma franquia de sucesso de baixo investimento é padronizada e essa decisão cabe à franqueadora.

Por isso, veja como a operação própria encara essa questão. Considere, por exemplo, se há unidades pilotos para a implementação de novidades. Mesmo a ação autônoma serve como um ambiente controlado de testes, de modo a transmitir mudanças mais maduras e com melhores possibilidades de desempenho.

Ao levar a operação própria em conta, dá para ter uma ideia clara se a franqueadora era bem-sucedida antes da rede. Assim, é possível optar por marcas consolidadas e que oferecem, de fato, boas oportunidades.



Capítulo 8 – Plano de negócio

O plano de negócio funciona como um mapa de atuação e é determinante para escolher a franquia de sucesso barata e lucrativa.

Um plano de negócio é um dos itens mais fundamentais para o sucesso de qualquer empreendimento. Com uma franquia, isso não é diferente. Ele traz uma visão clara do que é relevante e funciona como uma espécie de mapa, de modo a guiar o empreendedor rumo à rota de sucesso.

Um dos benefícios da franquia é que você tem um plano pronto, já estruturado e que funcionou em outros pontos. Porém, não ache que o trabalho acaba por aí. Ele precisa ser manipulado corretamente e, por isso, é um dos fatores que incidem sobre a decisão de escolher uma franqueadora.

Para saber tudo sobre o plano de negócio na seleção de franquia, veja o que é relevante entender sobre o tema e o que deve ser avaliado. Confira!

Os elementos presentes em um plano de negócio de uma franquia de sucesso 2018

O plano de negócio, como dito, funciona como uma vista mirante do cenário que aguarda o empreendimento. Por isso, ele deve conter os dados detalhados para oferecer bons efeitos.

Especificamente sobre as franquias, tal plano deve começar trazendo uma abordagem sobre a atuação da marca. A ideia é definir os serviços e produtos, os aspectos de captação de clientes e as possibilidades disponíveis.

Uma franquia home-based, por exemplo, terá uma estrutura de funcionamento diferente daquela que exige um quiosque no shopping.

Além disso, é necessário apresentar os principais concorrentes, obstáculos e investimentos. Assim, cada um pode definir se entrar no ramo é a opção certa e adequada para os interesses e possibilidades. Basicamente, o plano de negócio deve incluir itens do presente e ter os olhos no futuro.

A importância da qualidade do plano de negócio

Se for usado corretamente, esse é um elemento que tem grande responsabilidade no fortalecimento do empreendimento. Graças a ele, é possível ter uma ideia consistente do que vem pela frente e de quais são os principais obstáculos.

Sua maior relevância é funcionar como um preparador para o mercado. Quem empreende com um plano do tipo consegue ter melhor movimentação de receitas e sabe o que esperar do retorno.

Eventualmente, isso é decisivo para a tomada de decisão. Quando chega a hora de fazer escolhas cruciais para o empreendimento, esse documento dá um senso de direcionamento muito relevante. Como consequência, as chances de erros diminuem e o êxito no mercado fica mais próximo.

Os fatores para analisar o plano de negócio da franquia de sucesso de baixo investimento

Apesar de essa ser uma necessidade compartilhada para qualquer tipo de empresa, o plano de negócio da franquia não é igual ao de um empreendimento comum. Ele deverá ser trabalhado por cada franqueado, já que cada unidade tem exigências e desafios específicos.

Portanto, o fundamental é que haja com o que se trabalhar. Ele, provavelmente, não poderá ser apenas aplicado como está, mas já será de grande ajuda se a maior parte estiver pronta.

Para não ter dúvidas, veja o que analisar no plano de negócio da franquia e faça a escolha certa:

1. Verifique se ele é completo

Com o objetivo de ser verdadeiramente interessante e funcional, esse documento deve conter os dados corretos. Ele deve trazer — ou, ao menos, ajudar a encontrar — os diferenciais competitivos da franquia, por exemplo. Por meio do benchmark, torna-se viável identificar quais são os pontos de destaque e atenção.

Também é interessante que ele detalhe profundamente os serviços e produtos, as questões de logística e de qualidade. É importante que apresente os custos fixos e sua distribuição, assim como a lucratividade.

Além de tudo, ele deve conter a proposta de valor. Afinal, é indispensável saber o que você pode agregar para aumentar o interesse dos possíveis clientes.

2. Tenha cuidado com a consistência

Mais do que ter as informações fundamentais, esse item deve ser consistente e apoiado na realidade. Não adianta trazer a projeção de receitas se elas aparecem sempre crescendo. Isso não é realista e, possivelmente, não se concretizará.

Portanto, o melhor é que os gráficos e projeções sejam minimamente compatíveis com a realidade. É interessante que eles considerem a sazonalidade, o interesse variável e até um cenário pessimista de lucratividade.

Para melhorar, é possível cruzar com sua análise para descobrir o que faz sentido em relação ao que foi apresentado.

3. Realize um estudo de mercado

Independentemente da condição do plano de negócio da franquia, você precisará agir sobre ele. Afinal, a ideia é personalizar para o seu público-alvo, localização e oportunidades.

Portanto, uma recomendação consiste em realizar um estudo de mercado. É hora de partir para a ação e perguntar, diretamente, para as pessoas que poderiam ter interesse no que oferece.

Ao compilar as respostas, conhecerá o perfil de consumo e saberá se a franquia, de fato, faz sentido para o lugar em que pretende atuar.

4. Analise se há apoio da franqueadora

Não basta que a empresa tenha o plano de negócio. Ela precisa oferecer um apoio para que ele seja usado da maneira correta e, também, para que possa criar a sua versão completa.

Essa questão é importante, acima de tudo, porque é a franqueadora de sucesso que tem o know-how de mercado. Com isso, ter o apoio dela faz a diferença para que os resultados sejam obtidos conforme o aguardado.

Também verifique se há planos há a expectativa de ele ser revisado. Esse roteiro deve ser revisto em alguns momentos, para o alinhamento de estratégias. Muitas vezes, isso não é de obrigação da franqueadora, mas é desejável que ela apoie essas adaptações.

5. Não abra mão de fazer a análise

O plano de negócio parece perfeito e ele tem tudo para dar certo. Mas será que isso corresponde à verdade?

A única pessoa que pode dar essa resposta, com total segurança e alinhamento a seus interesses, é você mesmo. Por isso, não renuncie a realizar essa análise de um jeito completo e estratégico.

Não aceite as respostas prontas da franqueadora, ainda que ela traga planejamentos. É importante se dedicar a essa responsabilidade se quiser o sucesso.

Além de tudo, tome cuidado com opções em que a divulgação acontece somente após a assinatura. Isso impede a análise correta e é um mau indício sobre o empreendimento.

Depois de fazer a consideração de todos esses pontos, você saberá se o plano de negócio da franquia é consistente. Assim, aumentam as chances de chegar ao sucesso, então não deixe esse elemento de lado.



Capítulo 9 – Custos e lucratividade

Os custos e lucratividade estão diretamente relacionados ao sucesso do empreendedorismo. Por isso, a franquia de sucesso barata e lucrativa deve ser avaliada com esses aspectos.

Praticamente todo negócio tem o objetivo ser lucrativo. Esse interesse está relacionado ao bom desempenho e à consolidação de um planejamento estratégico bem executado. Por isso, na hora de pensar em empreender, custos e lucratividade devem ser considerados.

Na franquia, isso também acontece. Mesmo com a padronização e com as chances ampliadas de ter êxito, o lucro nem sempre aparece. Portanto, é necessário ficar de olho para saber se esses elementos correspondem aos interesses.

Para não errar, veja o que considerar sobre custos e lucratividade e fique um passo mais próximo da franquia correta.

A relação entre custos e lucratividade

Imagine que você tem uma carteira repleta de dinheiro. Suas finanças estão em alta, mas se tiver que pagar contas ainda maiores, pouco adianta ter ganhado todo aquele montante, certo?

Com a franquia, acontece de um jeito parecido. Qualquer operação tem um custo, mesmo que a oferta seja de serviços e não de produtos. Há despesas com energia elétrica, com os royalties e outras taxas e até com o aluguel, se for o caso. Nos itens, há questões ligadas às máquinas, às matérias-primas e assim por diante.

Como tudo isso tem que ser pago, esse acúmulo de débitos consome a lucratividade. Ainda que o faturamento seja muito elevado, os custos lá em cima comprometem o bom resultado.

Já que a lucratividade é o que sobra depois de diminuir os gastos do que foi ganho, é interessante que os custos não sejam altos. Ao avaliar isso em uma franquia, será possível escolher aquela com melhor potencial.

O impacto desses elementos no sucesso de uma franquia 2018

De certo modo, a lucratividade é o motor de qualquer empreendimento. É ela que garante, em primeiro lugar, que todos os compromissos estejam quitados. Afinal, se há o suficiente para ser considerado como lucro, então todas as despesas e obrigações estão pagas.

Além disso, é por meio desse aspecto que o empreendedor é remunerado. De tudo o que sobra, ele recebe pelo seu “trabalho” de comandar o negócio. É, portanto, indispensável para que seja viável manter o empreendimento.

Para completar, os lucros favorecem os investimentos. Quando sobra dinheiro além das dívidas, é possível investir em melhorias contínuas. Isso gera maior faturamento e, portanto, estabelece um ciclo virtuoso de boa atuação.

Quando a franquia de sucesso de baixo investimento no Brasil equilibra corretamente esses dois fatores, o efeito é que ela fica próxima de chegar ao sucesso, de se destacar no mercado e de oferecer todos os aspectos positivos desejados.

Os elementos para avaliar os custos e lucratividade da franquia de sucesso no Brasil

Já que essa análise é crucial para o desempenho, nada mais justo do que fazê-la sob a ótica correta. É preciso ir além dos números, puros e simples. Em vez disso, é fundamental compreender o que cada dado quer dizer.

Com uma visão muito mais completa, você será capaz de entender quais efeitos a franquia pode trazer e, principalmente, quão rapidamente ocorre o retorno de investimento.

Portanto, veja o que ponderar sobre esses dois aspectos e entenda a importância de cada passo:

1. Analise o detalhamento de custos fixos e variáveis

Para trazer segurança, a franqueadora deve apresentar tudo o que a franquia gasta, de maneira detalhada. Os gastos fixos são aqueles que existem sempre, mesmo que você não venda nada. O valor do aluguel de um espaço é um bom exemplo.

Já as variáveis têm a ver com o volume de clientes, pedidos ou contratações. Quanto mais a franquia atuar, mais ela vai ganhar e gastar. Além de tudo, as despesas devem estar apresentadas e incluem os valores gastos fora da produção — como viagens até o cliente, por exemplo.

Ainda que eles não sejam números fechados e definitivos, a estimativa tem que ser bem estruturada, de modo que seja possível entender quanto custa operar o empreendimento. Para melhorar, a empresa deve ter uma gestão de custos eficiente e capaz de gerar cortes que ajudem o desempenho.

2. Entenda a questão da competitividade

Outro fator que merece atenção é a competitividade. Para se destacar da concorrência, é importante ter um preço condizente e atrativo. Isso, entretanto, não significa ter um valor muito baixo.

Mais do que o custo, o cliente observa o valor. Essa percepção tem a ver com os diferenciais e com o que a solução agrega. Assim, é fundamental avaliar quais são os pontos diversos que podem contribuir para que o preço não seja o único fator.

É o que acontece, de forma semelhante, com lojas de shopping. Mesmo que elas vendam itens parecidos e pratiquem preços variados, todas atraem clientes. Isso depende dos diferenciais, como experiência de compra e posicionamento de marca.

3. Descubra como é feita a determinação do preço

Por falar em preço, ao analisar os custos e lucratividade é fundamental entender como eles são formados. Se houver uma tabela de cobrança, a sua unidade não terá liberdade para definir o quanto os clientes pagarão.

Por um lado, isso diminui o trabalho com a precificação. Por outro, entretanto, limita as suas possibilidades. Em alguns casos, seus custos podem ser maiores que o ideal e esse valor fixo prejudica a lucratividade.

Já se houver flexibilidade, veja se a formação acontece conforme a demanda ou a região, por exemplo. Assim, fica fácil equilibrar o desempenho financeiro.

4. Entenda qual é a margem de contribuição

Outra questão que deve ser observada é a margem de contribuição. Ela corresponde à diferença entre receita e gastos. Mais do que a lucratividade, ela tem a ver com o ponto de equilíbrio.

É a partir dessa questão que você entende o quanto é preciso vender de cada produto ou serviço para garantir que os valores sejam cobertos. Se o preço é muito baixo ou se os custos são grandes demais, a margem fica extremamente pequena — às vezes, inexistente. Nesse caso, torna-se necessário vender um grande volume, o que nem sempre é viável.

Portanto, analise esse elemento para ter a certeza de que a operação é condizente e possível de ser realizada. Assim, há um indicativo positivo para a franquia.

5. Tenha uma visão realista sobre a lucratividade

Apesar de o lucro ser o interesse de qualquer negócio, alcançá-lo em certos patamares nem sempre é possível. Antes de se impressionar com a promessa de lucratividade da oferta de franquia de sucesso 2018, considere se é algo realmente tangível.

Pense, por exemplo, se a meta proposta pela franqueadora é compatível. Verifique o plano de negócio e confira se, de fato, há como atingir os resultados desejados.

Também não deixe de verificar se esse aspecto está adequado ao que é praticado no mercado. Assim, pode-se escolher uma franquia que tenha um ótimo desempenho, que se destaca no mercado e gera ótimo retorno.

Com a análise de custos e lucratividade da franquia barata e lucrativa, é possível saber o que esperar da sua unidade. Municiado de uma verificação bem cuidadosa, você poderá escolher a opção com a performance satisfatória que tanto deseja.

Franquia de Sucesso para 2018

Abrir uma franquia no Brasil é uma boa opção investimento, pois, ao mesmo tempo em que o empreendedor tem o seu negócio próprio, ele pode contar com a segurança de vender um produto ou serviço que já é conhecido e aceito no mercado. Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o setor de franquias no Brasil cresceu 8,3% em 2015 em comparação a 2014, e a expectativa é que mesmo com a crise econômica que atinge o país o crescimento se mantenha em 2017. As Franquias de baixo investimento são excelentes opções para quem quer empreender e quer fazer parte de um negócio que possibilita melhores condições de sucesso.

Para escolher uma franquia de sucesso em 2018 o empreendedor não pode levar em consideração somente quais segmentos fazem estão em alta no universo do franchising, ele também precisa se identificar com o negócio escolhido e fazer uma boa pesquisa sobre o histórico da empresa.

Além disso, definir um orçamento é extremamente importante na hora de decidir qual será sua franquia home based. Se o valor for inferior a R$ 80 mil, uma boa opção é optar pelas microfranquias ou franquias, que podem ser instaladas em casa, sem grandes gastos.

Um novo conceito, que surgiu com muita força recentemente, foi o das franquias baratas, que oferecem todos os benefícios de uma franquia convencional, porém com investimento acessível. Apesar do nome, elas também podem ser muito lucrativas e bem-sucedidas.

Entretanto, uma franquia de marketing digital sucesso, seja ela barata ou cara, não caminha sozinha, elas exigem muito esforço e comprometimento do franqueado. É importante que o empreendedor saiba que não é a franquia por si só não lhe dará dinheiro, mas o seu trabalho.

Uma franquia exige conhecimentos administrativos e sobre leis, acompanhamento dos resultados, investimentos, divulgação e tantas outras tarefas que muitas vezes serão realizadas apenas pelo franqueado. A participação do proprietário é essencial, mesmo que a franquia escolhida seja altamente padronizada. O sucesso de uma franquia de baixo investimento dependerá de inúmeros fatores, entre eles conhecer o cliente, o mercado e saber fazer adaptações de maneira construtiva no modelo de negócio.


Capítulo 10 –  Conversa com franqueados de sucesso

Na conversa com franqueados, é possível conhecer a empresa de dentro para fora e saber se ela é a ideal para você

Quando você vai fazer uma compra importante, é comum pedir recomendações e ler as opiniões de quem já passou pela mesma experiência, certo? Isso traz maior segurança e a sensação de que o seu dinheiro será usado da maneira adequada.

Ao analisar qual franquia escolher, é interessante falar com outros franqueados — tanto os atuais, quanto os passados. Esse elemento, juntamente dos outros pontos de verificação, será indispensável para definir se uma alternativa é a melhor escolha.

Não desperdice essa oportunidade! Continue lendo e veja como conduzir uma conversa com franqueados do jeito certo.

A importância da conversa com franqueados

Não é tão comum, mas pode acontecer de a circular de oferta de franquia não corresponder à realidade do negócio. Se o papel aceita tudo, as projeções e os resultados podem ser inflados e, se você não tiver cuidado, pode se ver considerando uma opção que não é tão vantajosa.

A conversa com franqueados de sucesso tem a função de manter os seus pés no chão. Ela ajuda a definir quais são os pontos verdadeiros sobre o plano de negócios, os desafios principais e os cuidados que devem ser tomados.

Ao falar com quem está na rede, pode-se ter uma ideia bem clara sobre o apoio oferecido pela franqueadora, por exemplo. Também é uma boa maneira de entender certas questões referentes à sazonalidade, fluxo e ritmo de trabalho e performance financeira.

É claro que as experiências individuais não podem ser tomadas como verdades absolutas. Cada empreendedor tem um estilo e comete erros e acertos que influenciam o desempenho. Porém, esse é um jeito de saber quais aspectos merecem maior atenção na decisão.

Onde encontrar as pessoas certas

Mas, afinal, como fazer para achar as pessoas certas? As redes sociais são ambientes democráticos e, com boa pesquisa, é possível encontrar indivíduos que atuam na empresa. Inclusive, essa é uma possibilidade interessante para você conhecer se há gente ativa na sua região, por exemplo.

Paralelamente, realizar a tarefa desse jeito não é fácil porque leva tempo e pode não ser bem-sucedida. Por isso, não deixe de recorrer à lista dos ativos e desligados que deve ser oferecida pela franqueadora.

É seu direito receber isso juntamente com a circular de oferta, pois faz parte da coleta e análise de informações. Se a empresa já não oferece esses dados, talvez nem valha a pena seguir com a decisão.

Os elementos que devem compor a conversa com franqueados

Agora que já sabe por que manter a conversa com franqueados e como encontrar essas pessoas, é o momento de pautar o que será tratado. Isso permitirá o máximo aproveitamento dessa chance e a tornará bastante esclarecedor.

Não é preciso seguir um script padronizado, mas convém não se esquecer de alguns pontos que fazem toda a diferença. Para que o papo seja proveitoso, siga essas dicas e obtenha o melhor da oportunidade:

1. Fale com as pessoas certas

Para começar, é indispensável procurar os franqueados certos. Os de sucesso são importantes porque você saberá se o seu perfil é condizente com o deles e se tem as características que os levam ao êxito. Pergunte sobre o perfil, a atuação e sobre o que o faz ter bons efeitos.

Como a lista pode ser extensa, não deixe de pedir que a franqueadora aponte quem são as pessoas com resultados diferenciados. Assim, é possível focar seus esforços.

Ao mesmo tempo, é interessante falar com quem se desligou da franquia de baixo investimento. Conheça os motivos que levaram a essa decisão e entenda qual foi a experiência durante o tempo na rede.

2. Descubra se a franqueadora cumpre suas promessas

Assim que apresenta a circular de oferta e o plano de negócios, a empresa está fazendo uma promessa. Basicamente, ela diz que sua atuação foi testada, funciona no mercado e tem chances de dar certo para você.

Além disso, são prometidas várias outras questões, como a oferta de materiais, suporte e treinamento. Portanto, na conversa com franqueados veja o que eles têm a dizer sobre isso.

Colha as impressões sobre a acessibilidade da franqueadora de sucesso 2018 e se ela segue com o previsto. Se ela tiver superado as expectativas de alguns dos integrantes da rede, os indícios são muito atraentes.

3. Aproveite para perguntar sobre a atuação no mercado

Nada melhor para saber como anda o mercado quanto questionar quem já está nele, certo? Portanto, esse é o momento para ter uma opinião relativamente imparcial sobre como o ramo tem se apresentado.

Pergunte, por exemplo, se os produtos ou serviços são bons e se os clientes são satisfeitos. Trate, ainda, da concorrência, o movimento de vendas e se o nicho de atuação está aquecido.

A partir dessa resposta, pode-se ter uma ideia do que te aguarda. Paralelamente, é um jeito de fugir da promessa sempre positiva da franqueadora e vislumbrar a realidade.

4. Verifique se é possível ganhar dinheiro

Abrir uma franquia de sucesso de baixo investimento em 2018 significa fazer um investimento e, como tal, é preciso que haja um retorno. Portanto, a lucratividade é um fator que deve pesar para escolher uma ou outra opção.

Nessa conversa, pergunte se é possível ganhar dinheiro e tire uma média das possibilidades. Como você estará no começo, saiba que não conseguirá superar todos com efeitos inéditos. Portanto, essa base deve ser considerada. Compare esse valor médio com as suas expectativas e necessidades. Se estiverem alinhados, esse é um bom começo.

Além de tudo, veja se a franqueadora é inovadora. Em um mercado que muda tão intensamente, é somente com adaptação que será possível continuar ganhando dinheiro em médio e longo prazo.

5. Saiba filtrar o que você ouve

Por mais importante que a conversa com franqueados seja, ela também exige cuidados. Não se pode acreditar cegamente em tudo o que ouve. É conveniente ponderar para saber a origem dessas opiniões.

Uma resenha muito negativa ou extremamente positiva pode ter um caráter meramente pessoal. Portanto, veja, na média, o que as pessoas têm a dizer.

Também verifique se o seu interlocutor atende à padronização e segue tudo o que a franqueadora diz. Do contrário, as razões para um possível insucesso pouco têm a ver com o negócio e se relacionam ao comportamento individual.

Depois da conversa com franqueados, você terá uma ideia muito mais clara sobre a marca e poderá definir se ela é a melhor opção. Como traz segurança e melhora a tomada de decisão, não pule essa importante etapa!


Capítulo 11 – Capital de giro

Ao decidir abrir uma franquia, é comum pensar em pontos como o produto ou serviço, os custos fixos e até o potencial de mercado.

Embora todas essas sejam avaliações indispensáveis, não se pode esquecer do capital de giro.

Esse elemento é necessário para qualquer empreendimento, inclusive aqueles que fazem parte de uma franqueadora. Como muitas vezes é algo esquecido, pode trazer sérios riscos para o sucesso.

Para não sofrer com as possíveis consequências de desconsiderar esse elemento tão importante, veja tudo o que você precisa saber sobre o capital de giro em franquias.

As funções do capital de giro

O capital de giro (CG) tem a função de “sustentar” o negócio até que ele dê lucro ou em momentos atípicos. O valor garante que todas as operações serão devidamente custeadas e os compromissos, honrados.

Ele é, portanto, uma forma de resguardar o empreendimento em seus primeiros passos. Isso acontece porque uma empresa sempre passa por um período inicial de ajustes até consolidar o mercado consumidor. Mesmo uma franquia de sucesso de baixo custo muito famosa exigirá um tempo mínimo para que o retorno comece a acontecer.

Além de tudo, para se tornar um franqueado, há uma série de investimentos. É preciso pagar a taxa de franquia de sucesso em 2018, a organização do espaço e assim por diante. Essa matriz de custos fixos e variáveis consome boa parte dos ganhos iniciais.

Portanto, o capital de giro serve para garantir que tudo continue em funcionamento, mesmo quando o faturamento não é tão alto.

Os riscos de não ter o montante certo

Para simplificar, o CG é calculado pela diferença entre ativos circulantes e passivos circulantes. Os ativos incluem dinheiro em caixa, estoque e contas a receber. Já os passivos são todas as dívidas e pagamentos que devem ser feitos.

Se a empresa não tiver o valor correto, ela corre sérios riscos de segurança. Um capital de giro menor do que o necessário significa a falta de previsibilidade sobre a continuidade. Em algum momento, não haverá mais recursos para sustentar a operação e o endividamento será inevitável.

De acordo com um levantamento, 25% das PMEs fecham as portas após 24 meses e o principal motivo é o capital de giro. Dessa maneira, não ter um valor suficiente leva ao aumento de chances de o seu negócio ter que ser encerrado.

Por outro lado, um montante muito grande também é prejudicial. Quanto maior for o total imobilizado na forma de CG, menores são as chances de investimento e aproveitamento de oportunidades. Além de tudo, uma soma muito elevada inviabiliza para a maior parte dos pequenos e médios empresários.

Pelo bem da sua franquia e da performance, o CG deve ser calculado e mantido dentro de níveis adequados.

A relação entre ser franqueado e capital de giro

Ter cuidado com a avaliação a respeito do CG é um dos segredos para o sucesso da franquia. Ao considerar esse fator, o negócio começará do jeito certo e terá chances maiores de oferecer a performance esperada.

Portanto, é indispensável reconhecer a relação que existe entre escolher uma franquia e entender sobre o capital de giro. Os pontos que devem ser levados em conta são:

Verifique qual é o valor exigido para a franquia de Sucesso no Brasil

Para começar, descubra quanto é exigido de capital de giro mínimo dos franqueados. Normalmente, ele é apresentado na circular de oferta e precisa ser seguido à risca.

O valor varia com o tipo e mercado de atuação da rede franqueada. Uma microfranquia de sucesso no Brasil, por exemplo, exige um montante menor por causa da estrutura diferenciada. Da mesma forma, uma franquia home based  não tem custos com o ambiente, o que significa uma redução na exigência.

Por outro lado, franquias de varejo, com produtos em estoque, costumam exigir um montante maior. Portanto, avalie se você possui o total e se ele é viável para a sua realidade.

Analise qual é a clareza de apresentação da necessidade de capital de giro

Antes de assumir que o CG apresentado é definitivo, é interessante entender como o valor foi encontrado. Para que isso seja viável, é indispensável solicitar que a franqueadora demonstre como chegou ao cálculo.

Se os fluxos de caixa de várias unidades foram usado e/ou se essa é a média de outros franqueados, então isso é um bom sinal. A metodologia se apoia em dados concretos e, com isso, tem chances maiores de ser correta.

Por outro lado, quando não há transparência na apresentação, há riscos de o valor ser grande ou pequeno demais. Como visto, ambas as situações são prejudiciais e exigem cuidados.

Avalie o ponto de equilíbrio

O ponto de equilíbrio é o momento em que as despesas e os ganhos se igualam. Nessa fase, já não é preciso tirar dinheiro do próprio bolso, o que evita o consumo do capital de giro.

Reconhecer quando o equilíbrio é atingido é necessário para identificar se o CG será adequado para o período. Em um exemplo simples, imagine que o CG é de R$ 15 mil e que os custos mensais são de R$ 5 mil. Assim, o CG será suficiente para 3 meses sem nenhum faturamento.

Se o ponto de equilíbrio estiver abaixo disso, há segurança para escolher a franquia de sucesso para cidades no Brasil. Do contrário, há o risco de o seu sonho se transformar em pesadelo.

Entenda de onde vem o capital de giro

Outra questão fundamental é considerar a origem desse valor. Caso você já tenha o montante em suas economias, o passo pode ser pulado. Contudo, o comum é ter que recorrer a um financiamento.

Se for o caso, é importante entender que há juros e que o valor será mais caro do que o contratado. Para evitar contratempos, o ideal é se planejar e fazer a contratação do financiamento com antecedência.

A favor da franqueadora pesa o fato de ela ter convênio com alguma instituição bancária. Nesse panorama, as taxas e o prazo de carência são menores, o que cria uma opção vantajosa.

Diante da necessidade de recorrer a um valor extra de CG, também é interessante que a franqueadora ofereça as orientações relevantes.

Pense se a franquia será a sua fonte de renda

Quem não tem outra fonte de renda e depende exclusiva ou principalmente da franquia terá uma configuração de CG diferente. Isso porque o pró-labore é um gasto extra no empreendimento que, a princípio, não dá lucro.

Graças a essa questão, há um aumento nas despesas e, portanto, na necessidade de capital de giro. Eventualmente, isso torna mais difícil a tarefa de empreender.

Se for viável, é interessante não depender dos lucros da franquia nesse primeiro momento. Ao encará-la como investimento, em vez de para a sobrevivência, o desempenho tende a ser otimizado.

O capital de giro é um dos elementos mais importantes para qualquer negócio iniciante — inclusive para uma franquia. Portanto, não deixe de considerar todos esses pontos para conquistar a máxima segurança.


Capítulo 12 – Infraestrutura

Ao decidir procurar uma franqueadora, uma das questões que influenciam o sucesso é o relacionamento interno.

A ligação que existe entre franqueadora e seus franqueados é determinante para que os novos empreendimentos tenham bons efeitos e um desempenho diferenciado.

Como tudo deve acontecer de maneira sólida, a infraestrutura conta muito para a tomada de decisão ao escolher uma franquia. O problema é que nem sempre isso fica claro e muita gente não sabe como agir.

Para que nada fique de fora, veja todos os pontos que devem ser analisados sobre a infraestrutura e saiba encontrar boas oportunidades.

Por que a infraestrutura da rede conta

A rede franqueada já indica, no próprio nome, que não se trata de um esforço individual. A franqueadora pode fazer tudo certo, mas se ela não contar com os franqueados de perfil correto, o desempenho desejado não será atingido. O mesmo vale no sentido contrário.

Portanto, a infraestrutura está diretamente ligada ao esforço coletivo e à habilidade de criar valor para toda. Já que a atuação não é solitária, quem abre uma franquia de sucesso no Brasil não depende apenas de si mesmo. Se a franqueadora não oferecer as condições adequadas, atingir o sucesso e aumentar as vendas é impossível.

Esse cuidado liga-se à taxa de êxito. Graças a ele, é possível ter maior certeza de que tudo sairá como o previsto e desejado. Embora não seja o único elemento relevante, tem ótimos efeitos.

O impacto de uma boa infraestrutura para os resultados de negócio

A infraestrutura é, de certo modo, uma questão dos “bastidores”. Muitos consumidores nem sequer sabem como é o funcionamento das franquias e, mesmo assim, compram no empreendimento ou contratam serviços.

Contudo, vale a pena entender que uma boa infraestrutura trará impactos diretos na experiência dos clientes. O motivo é que uma atuação correta nesse sentido favorece a entrega de serviços de qualidade.

Se o franqueado tem o apoio adequado da franqueadora, ele conseguirá identificar e atender mais facilmente aquilo que o mercado de consumo deseja. Com menos problemas na operação, o efeito é que há um ganho elevado de satisfação de quem consome.

O resultado se propaga positivamente para todos os envolvidos. A franquia de sucesso 2018 ganha um cliente satisfeito e a marca, como um todo, tem um posicionamento muito interessante.

Os fatores para avaliar sobre essa questão

Para usar a análise a seu favor, é fundamental compreender o que deve ser considerado. Ao reconhecer os pontos mais relevantes, pode-se evitar que a franqueadora incorreta seja selecionada, quando outra com infraestrutura melhor estava disponível.

Ao incluir esse fator em sua checklist de escolha de franquia, o processo decisório será favorecido. Visando ao sucesso na tarefa, coloque as seguintes dicas em prática e veja como a etapa se torna mais fácil:

Conheça a infraestrutura da franqueadora

Tudo começa com o reconhecimento da infraestrutura que é oferecida pela empresa franqueadora. Nesse momento, é indispensável fazer uma análise profunda sobre a questão.

Entenda, por exemplo, como é a comunicação com os franqueados e como acontece o suporte. Identifique a tecnologia usada, pense se o processo é burocrático e se o lugar de trabalho é adequado.

O ideal é que haja uma grande estrutura de comunicação, um help desk bem montado e o uso de ferramentas tecnológicas. Além disso, considere o número de franqueados por funcionário (ou vice-versa), de modo a compreender se há disponibilidade real.

Analise quais são as perspectivas para o futuro

Com um mercado tão dinâmico como o atual, manter-se em movimento é questão de sobrevivência. Sabendo disso, a franqueadora precisa ter planos para expandir ou, no mínimo, se fortalecer no setor.

Se a ideia não estiver associada a melhorias no atendimento e na infraestrutura, o insucesso é um grande risco. Portanto, verifique se houve investimentos nesse fator nos últimos 6 meses, por exemplo. Isso demonstra o dinamismo e o interesse em buscar novos resultados por parte da franqueadora.

Além disso, veja se os planos são condizentes com a possível expansão. Se a empresa quer dobrar o número de franqueados, uma estrutura que é apenas 20% maior provavelmente não dará conta. Se você não tiver acesso a tais questões, é melhor se preocupar.

Verifique como é o treinamento e a motivação de colaboradores da franquia de sucesso no Brasil

Os funcionários da franqueadora são determinantes para oferecer um atendimento consistente e de alta qualidade. Além de um ambiente de trabalho agradável, isso só será possível mediante capacitação e motivação.

Quando a franqueadora escolhe pessoas despreparadas, qualquer dúvida dos franqueados se torna um problema de longa resolução — mesmo que seja simples. Eventualmente, isso contribuirá negativamente para os resultados, já que os indivíduos não serão capazes de oferecer o melhor atendimento.

Portanto, verifique se a franqueadora oferece treinamento e se os colaboradores são capacitados sobre franchising e sobre o segmento de atuação.

Conheça quais são os índices de atuação da Franquia de Sucesso 2018

Para ter a certeza de que a experiência é satisfatória e agradável, não se esqueça de conferir quais são os índices de satisfação dos franqueados.

Verifique, por exemplo, o que os outros franqueados pensam sobre o processo de atendimento e se eles são realmente ouvidos. Isso é indispensável para que a estrutura esteja em contínua otimização. Do contrário, os problemas não demorarão a surgir.

Não desconsidere outros parâmetros como tempo médio de atendimento, setores mais solicitados e assim por diante. A análise ficará objetiva e será fácil compreender se a estrutura é adequada.

Entenda sobre o posicionamento hierárquico

Por melhor que seja a infraestrutura da franqueada, pode acontecer de um departamento não ser capaz de responder uma dúvida ou solucionar uma dificuldade.

Dependendo da urgência, pode valer a pena buscar estruturas hierárquicas acima. Para que isso seja viável, é necessário que haja transparência sobre a estrutura de atendimento.

Ao conhecer quem são os responsáveis pelos departamentos, há uma atuação mais interessante. A falta de acesso a essas informações, por outro lado, compromete a conveniência e deve disparar um sinal de alerta.

Com o objetivo de acertar na escolha da franquia de sucesso de baixo investimento, a infraestrutura é um elemento indispensável. Ao considerar todos esses fatores, você poderá optar pela franqueadora adequada aos seus interesses.


Capítulo 13 – Segmento

Quando há a decisão de empreender, é fundamental que a ação ocorra no nicho certo de mercado.

Não adianta ter uma ótima ideia e vendê-la para o grupo errado ou, então, tentar agir em uma área que já está saturada.

Com a franquia de sucesso no Brasil, vale a mesma regra. A escolha do segmento é muito estratégica e define se a ação será um sucesso ou um fracasso. Cada caso é individual e uma franqueadora pode ser ótima para um empreendedor ou péssima para outro, a depender do ramo de atuação.

Para que não restem dúvidas nesse sentido, veja quais são as questões mais importantes sobre o segmento e aprenda a identificá-lo corretamente.

Por que a identificação não é o único fator sobre o segmento

Uma das dicas para ser bem-sucedido como franqueado é ter identificação com o ramo de atuação. Ainda que você não seja especialista na área, o interesse garante que o desempenho seja favorecido e otimizado.

Contudo, esse não é o único elemento que precisa ser considerado. Por mais relevante que seja, a identificação não é o bastante quando o segmento não é promissor. É por causa disso que é tão importante fazer uma análise profunda e que é focada, inclusive, no futuro.

Já que abrir uma franquia é, de certo modo, realizar um investimento, reconhecer o terreno é indispensável para obter os números desejados.

Quais são os riscos de escolher a área errada

Sem o cuidado em desempenhar uma análise minuciosa, você pode terminar como integrante de uma rede franqueada cujo segmento não é interessante.

Dependendo da situação, como valor de aplicação inicial, desempenho e ponto de equilíbrio, talvez ocorra uma demora muito longa até que haja a recuperação do investimento. Se isso acontecer, a necessidade de capital de giro dispara.

O maior problema, entretanto, tem a ver com o encerramento das atividades. Uma micro, pequena ou média franquia que opera no nicho incorreto ou sem muitas oportunidades dificilmente conseguirá superar os concorrentes.

A pior consequência da escolha errada, portanto, é a possível perda financeira que dela decorre.

Como saber se o segmento da franquia é o correto

Ao fazer a avaliação, não basta pensar que a área está sempre em alta e que isso é suficiente. Uma franquia de sucesso do ramo de beleza, por exemplo, atua em um nicho com bom desempenho ao longo dos anos, mas isso não significa, necessariamente, que o segmento é adequado para você.

É preciso fazer uma análise robusta e que leva em consideração uma série de elementos. Para se sair bem na tarefa, veja como descobrir se a oportunidade está no segmento correto:

Conheça qual é a situação atual e as perspectivas

O primeiro passo deve ser a realização de uma análise do momento atual. Entenda se o negócio faz parte de uma tendência de mercado e se essa fatia da economia vem se dando bem ao longo do tempo. Para ter a certeza que tudo vai bem, não olhe apenas para os dados fornecidos pela franqueadora.

Busque informações em pesquisas de mercado e especialistas, consuma notícias e tire suas próprias conclusões.

Além disso, compreenda quais são as perspectivas de futuro. No setor alimentício, principalmente, é comum que surjam marcas que são uma tendência com prazo de validade curto. Em vez disso, é melhor ter uma visão em médio e longo prazo.

O marketing digital, por exemplo, tem experimentado um crescimento no Brasil e no mundo. Desse jeito, é muito provável que uma franquia do segmento tenha maior desenvolvimento daqui a 5 anos do que uma da sobremesa que faz sucesso atualmente.

Considere a atuação em sua região

Uma franquia de sucesso de baixo custo pode ser uma excelente oportunidade em uma cidade ou bairro e, ao mesmo tempo, a pior escolha em outro. A região física tem grande influência nos resultados e, portanto, ela tem que ser considerada na análise de segmento.

Antes de concluir que uma oportunidade é ou não vantajosa somente ao se basear em números nacionais, veja o que faz sentido para a área de atuação.

Uma localização com elevada concentração de negócios e empresas será melhor para uma franquia com foco empresarial. Já quando o interesse é no consumidor final, áreas de comércio fazem mais sentido.

Reconheça qual é a concorrência

A matriz de concorrentes é uma das responsáveis pela viabilidade — ou não — de um segmento. Se o setor é comandado por grandes players, por exemplo, a dificuldade é intensa. Para uma nova franquia se estabelecer e vencer a preferência do público fica difícil — e, por vezes, impossível.

Se não for o caso, avalie muito bem a concorrência. Entenda por que eles ganham os consumidores, como eles agem e quais são as brechas deixadas.

Se não houver um número suficiente de competidores, tome cuidado, pois isso pode ser sinal de inviabilidade do empreendimento.

Identifique os diferenciais competitivos

Para conseguir se destacar, é indispensável oferecer diferenciais. São eles que chamam a atenção do mercado e que convertem os clientes. Um bom atendimento, produtos/serviços de qualidade elevada e/ou preço são algumas das possibilidades.

Para reconhecer se a franquia de sucesso 2018 tem chances concretas, entenda quais são os diferenciais e compare-os com os da concorrência. A intenção é encontrar pontos únicos e que têm a ver com o que o mercado deseja e espera.

Inclusive, é válido pensar na inovação como um fator do tipo. Se a franquia precisa inovar constantemente para se destacar, confira junto à franqueadora como isso acontecerá.

Entenda a necessidade de pessoas e outras barreiras de entrada

Imagine investir em uma franquia em que é preciso ter um local amplo e totalmente remodelado. Isso exigirá um grande investimento de tempo e dinheiro e, portanto, funciona como uma barreira de entrada.

Outra possibilidade é relacionada à exigência de contratação de funcionários. Além dos custos envolvidos, é preciso encontrar e entrevistar as pessoas certas, bem como fornecer treinamentos. Tudo isso exige uma ampliada capacidade técnica e financeira, que nem sempre está disponível.

Portanto, é importante compreender se é difícil entrar e se estabelecer no setor ou se o caminho é adequado para as suas possibilidades e necessidades.

Com a análise consistente de segmento, é possível ter uma ideia concreta do que esperar sobre a franquia de sucesso. Desse modo, será viável decidir com maior eficiência e com riscos muito menores.


Capítulo 14 – Crescimento profissional

Ter um bom crescimento profissional faz parte do interesse de muitas pessoas.

A ideia de conquistar uma atuação superior e de obter maiores resultados é atrativa para a maioria dos indivíduos. Isso acontece tanto entre quem é contratado quanto entre os empreendedores.

Ao optar por uma franquia, é relevante compreender que também é possível crescer em sua atuação. Para que isso aconteça corretamente, a análise antes da escolha da marca faz toda a diferença.

Quer saber o que fazer para obter o crescimento profissional na franquia e como ela pode oferecer isso? A seguir, descubra tudo!

As formas de crescer dentro da franquia

Nem todo mundo percebe, mas um empreendedor que é franqueado também tem a chance de ser “promovido”. Essa mudança para um patamar elevado acontece dentro do próprio negócio e se dá pelas transformações na maneira como o estabelecimento atua.

Para entender melhor, considere um empresário que abriu uma franquia home based. O empreendimento deu tão certo que ele decide abrir uma loja física, como forma de atrair mais clientes.

Eventualmente, surge a oportunidade de adquirir outra unidade e ele delega a gestão da primeira para seu time, igualmente competente. Na situação, o empresário deixa de ser um empreendedor de estilo franquia home office e se torna o gestor de duas unidades bem-sucedidas.

Também é possível crescer na franquia ao obter níveis melhores de faturamento e/ou lucratividade. Com isso, o plano de negócios apresentado inicialmente pode ser apenas o primeiro passo rumo a um longo caminho.

Os motivos para que se tornar um franqueado não seja o último destino

Como as franquias de sucesso são relativamente mais seguras do que empreendimentos próprios, não é incomum que os empresários se sintam confortáveis. O problema é que, em alguns casos, isso pode significar a acomodação dentro da zona de conforto.

Em vez disso, é muito melhor buscar o crescimento profissional. Em primeiro lugar, isso se justifica pela necessidade de estar de acordo com o mercado. Como o público e as tendências estão em movimento contínuo, é adequado que a atuação também o seja.

Outra questão interessante é que a conquista do crescimento está diretamente relacionada aos resultados. Só é possível crescer se as vendas aumentam, a gestão melhora e a inovação acontece.

Portanto, crescer significa incrementar a abordagem profissional. Isso otimiza o fortalecimento e o posicionamento de marca e gera melhores possibilidades para a permanência da atividade.

Os caminhos para identificar se há crescimento profissional

Já que crescer profissionalmente junto com a franquia é tão importante, não deixe de verificar se é uma alternativa. Muitas redes franqueadas parecem ser boas opções, mas não apresentam a chance ou a estrutura para o desenvolvimento.

Como é fundamental pensar em médio e longo prazo, faz sentido que a chance de poder crescer seja um elemento decisivo para definir de qual rede participar. A seguir, veja o que considerar nessa escolha e saiba identificar boas oportunidades:

Verifique se há a possibilidade de crescer dentro da rede

Seja por causa do funcionamento ou da estrutura, algumas franqueadoras não comportam o crescimento de seus franqueados. Portanto, é relevante entender, primeiramente, se é viável atingir novos patamares na rede.

Identifique, por exemplo, se é possível expandir a unidade atual para um modelo mais abrangente e capaz de receber um número maior de clientes. O aumento do faturamento também significa desenvolvimento.

Além disso, é interessante reconhecer se é viável adquirir mais de uma franquia. Essa é uma ação que exige um planejamento robusto e que não serve para todos os casos. Contudo, ter a possibilidade significa poder crescer dentro da rede.

Conheça o plano da franqueadora para múltiplas unidades

Se for permitido que um franqueado tenha mais de uma unidade, é hora de partir para a análise de vários outros pontos.

Em primeiro lugar, é necessário saber se há um limite de aquisição por cada integrante. Novamente, considerar isso é pensar em médio e longo prazo. Além de tudo, é um jeito de conferir se a franqueadora tem expectativas reais e a capacidade certa de dar o suporte.

Outro ponto é a diferenciação para os franqueados que têm múltiplas unidades. Se a franqueadora oferece descontos nas taxas e nos valores, oportunidades em instituições bancárias e outras vantagens, há um estímulo ao crescimento. Também é uma forma de identificar o preparo e o plano da controladora para a própria marca.

Conheça a atuação de outros franqueados

Já que a intenção é atingir o crescimento profissional, vale a pena se inspirar na atuação de outros responsáveis de sucesso. Peça para que a empresa forneça, por exemplo, qual é o faturamento máximo da rede. Se o valor não for condizente com o que você espera atingir, talvez seja melhor buscar outra oportunidade.

Outro ponto é o número máximo de franquias de um integrante da rede. Se o limite imposto pela franqueadora é de 3 unidades e nenhum tem ao menos duas, há possibilidades de o desenvolvimento ser inviável.

Por outro lado, se o limite é de 3 e boa parte das pessoas o atinge, pode ser um indício de saturação do mercado ou de falta de visibilidade de crescimento da controladora.

Não deixe de verificar os números para saber até onde o seu negócio tem chances concretas de ir, com o mínimo de segurança exigido.

Identifique a localização das unidades disponíveis

A franqueadora permite ter mais de uma franquia de sucesso 2018 e as possibilidades são atraentes? Então, verifique a localização das unidades que têm potencial de ficar disponíveis para a sua aquisição.

Por um lado, opções muito próximas são convenientes pelo tempo de deslocamento, mas podem ser prejudicadas pela concorrência. Já as distantes permitem o aproveitamento de vários mercados, mas exigem uma preparação muito maior devido ao tempo para ir de uma a outra.

É necessário colocar tudo isso na balança para identificar quais são as oportunidades mais adequadas para os seus interesses.

Entenda os impactos que ocorrerão em sua carreira

Obter o crescimento profissional na franquia não tem a ver somente com o aumento das vendas ou com a conquista de maior reconhecimento no mercado. Essa evolução está ligada à transferência e absorção de know-how.

Ou seja, ser parte de uma rede franqueada pode fazer com que você se torne um profissional melhor dentro daquela área. Por meio de treinamentos e compartilhamento de dados, é possível ser muito capacitado.

Portanto, é indispensável que tudo contribua para que você passe a ser alguém com conhecimento mais robusto e funcional.

Depois de considerar esses pontos, será possível saber se a franquia oferece crescimento profissional. Em caso afirmativo, vale a pena considerá-la como opção graças a todos os benefícios envolvidos.


Capítulo 15 – Inovação

Nas últimas décadas, muita coisa mudou no mercado de trabalho. 

Desde a metade da década de 1990, por exemplo, a tecnologia caminhou a passos largos e entrou com tudo nos empreendimentos. Além disso, a forma de administrar os estabelecimentos e de consumir produtos e serviços também mudou.

A inovação, portanto, é a única certeza constante a respeito do mercado. Ao empreender, isso tem que ser considerado porque se relacionada aos efeitos que poderão ser obtidos. Buscar a inovação é ir atrás do êxito.

Ao selecionar uma franquia, veja o que considerar sobre a inovação e faça as melhores escolhas!

O papel da inovação no mercado atual da franquia de sucesso 2018

O crescimento populacional, a popularidade da internet e a exigência de otimização dos processos são apenas alguns dos motivos que levaram às mudanças na forma como as empresas atuam. Hoje, o mercado é muito dinâmico e requer que as necessidades sejam atendidas e, mesmo, antecipadas.

Quando uma marca faz tudo sempre da mesma maneira, é impossível conquistar resultados diferentes. Por isso, inovar significa transformar, romper com padrões e, principalmente, saber se destacar.

Já que o mercado não se mantém o mesmo, a franqueadora precisa transmitir isso a seus franqueados. Com as transformações, aumentam as chances de destaque e de sucesso.

Uma franquia de marketing digital, por exemplo, dificilmente faria sentido há 30 anos. Afinal essa não era uma realidade dos negócios. Atualmente, esse é um setor em franca expansão. Paralelamente, é preciso ter os olhos no futuro e o plano deve ser consistente com o que virá.

Os principais problemas de escolher uma franquia pouco inovadora

Não dar a devida importância ao processo de inovar pode custar caro — em todos os sentidos. O primeiro fator é que, cedo ou tarde, novos concorrentes chegarão ao nicho. Detentores da vontade de fazer diferente e de conquistar o público, trarão novas formas de oferecer um produto ou serviço.

Se a franqueadora continua agindo como antes, há grandes chances de ela ser deixada para trás. Com a perda da competitividade, uma perigosa brecha é aberta para que outros negócios atendam ao mercado de um jeito diferente.

Inicialmente, isso significa diminuição de vendas e de clientes. Em seguida, é algo que leva ao comprometimento da relevância dentro do segmento de atuação. Por fim, nunca inovar pode significar a ruína do empreendimento, que se vê obrigado a fechar as portas.

Os fatores para conhecer o nível de inovação da franqueadora

Por causa de tais consequências, a franqueadora escolhida tem que dar atenção consistente para o processo referente à inovação. Desse modo, seu investimento será mais seguro e, principalmente, rentável.

Para ter a certeza de que a opção não ficará parada no tempo, alguns sinais indicam se uma oportunidade é ou não interessante. Para saber tudo, continue lendo e veja o que considerar:

Verifique o histórico e a cultura de inovação

Para olhar para o futuro, uma das melhores indicações é entender o passado. Basicamente, isso significa compreender quais são os esforços inovadores que a empresa já colocou em prática.

Identifique, por exemplo, como foi o salto para que o negócio se tornasse uma franqueadora e como ela mudou ao longo do tempo. A falta de inovação até o presente momento é mau sinal, já que nada indica que ela inovará no futuro.

Também é fundamental compreender qual é a visão da marca sobre a etapa. Identifique se existe um plano consistente com saltos de desenvolvimento em médio e longo prazo. Não deixe de dar atenção a questões como a capacidade tecnológica e o interesse em fazer mais e melhor.

Descubra os caminhos inovadores para franqueados

Depois de reconhecer que a empresa é capaz de oferecer a inovação, é interessante compreender como isso chega até os integrantes da rede.

É fundamental, por exemplo, que a otimização de gestão seja uma das preocupações. Com uma visão completa do negócio, a franqueadora pode implementar mudanças que são bem-vindas. Para melhorar, o fornecimento deve seguir padrões otimizados.

Também é necessário que o suporte esteja em contínuo aprimoramento, tanto para ser mais rápido quanto para ter maior eficiência. Com um incremento de performance, os franqueados têm um desempenho diferenciado.

Não menos importantes, as inovações em treinamentos garantem que os gestores sempre estejam por dentro. A cada inovação na estrutura, portanto, é interessante que haja novas capacitações.

Entenda como a inovação chega até os clientes

Uma das importâncias de investir em inovação é que ela se propaga até os consumidores e modificam, para melhor, a experiência.

Por isso, avalie se a franqueadora tem capacidade para oferecer inovação em produtos e serviços. Com o surgimento de novas alternativas que se alinham às transformações do consumo, o êxito das unidades ganha um reforço.

Por outro lado, franquias de sucesso 2018 no Brasil que não procuram trazer nada de novo tendem a cair no esquecimento e devem ser evitadas.

Analise se há a absorção de ideias dos franqueados

Uma das melhores e mais capacitadas fontes de sugestões inovadoras são os próprios franqueados. Como eles encaram os desafios e as dificuldades cotidianas, têm uma visão adequada sobre o que pode ser mudado.

Naturalmente, a franqueadora não tem que implementar todas as mudanças — até porque isso seria inviável. Contudo, é positivo que a responsável seja capaz de ouvir e integrar algumas ideias dos gestores das unidades.

Por meio de brainstormings realizados com a metodologia profissional, por exemplo, é possível captar novas formas de atuar. Quando a franqueadora coloca essas sugestões em prática, melhora a capacidade competitiva e, principalmente, a comunicação.

Confira se há comitês com participação dos franqueados

Para garantir que a franquia não fique estagnada, é interessante que os participantes da rede tenham uma abordagem ativa.

O Conselho de Franqueados serve para discutir temas abrangentes nesse sentido, mas o ideal é que haja comitês compostos por franqueados.

Eles servem para tratar de assuntos pontuais, como um novo produto ou serviço a ser oferecido ou uma ferramenta que promete ajudar os resultados. Se a franqueadora de sucesso conta com unidades participativas, as chances de ela ficar estagnada são pequenas. Com isso, há melhores possibilidades quanto ao sucesso.

Já que a inovação é conteúdo fundamental para a sobrevivência dos empreendimentos, o ideal é verificá-la dentro da franquia. Assim, o recomendado é dar preferência para uma franqueadora preocupada em oferecer algo a mais, melhor e que realmente se destaca.


Capítulo 16 – Intranet

A intranet nada mais é do que uma rede interna, de acesso limitado e com recursos variados.

De um jeito simples, é como se fosse uma “rede social” particular e que é muito usada por empresas. Negócios de diversos tamanhos recorrem a essa possibilidade como uma forma de obter uma comunicação diferenciada.

As franquias, mesmo que sejam de pequeno porte, também devem utilizar esse elemento. Afinal, a boa troca de dados entre a franqueadora e os integrantes da rede faz a diferença para os resultados de todos.

Quando for escolher a sua franquia de sucesso 2018, tal aspecto não pode ser desconsiderado. Por isso, veja o que avaliar sobre a intranet e descubra como reconhecer uma boa possibilidade.

A função da intranet em uma franquia de sucesso no Brasil

Por ser um ambiente controlado e voltado especificamente para as necessidades do empreendimento, a intranet é útil para a comunicação. Sua principal função é garantir um fluxo de informações adequado, sem que haja comprometimento de dados pela exposição a partes não interessadas.

Basicamente, isso significa dizer que apenas as pessoas certas, como parceiros e funcionários, têm acesso ao ambiente virtual. Dessa forma, todos os dados são mantidos em relativo sigilo, mas sem que eles deixem de circular.

Isso é muito relevante para garantir a integração entre as pessoas que compõem ou interferem em um negócio. Os vários setores se comunicam melhor e há menos ruídos e desentendimentos. Eventualmente, isso leva a uma otimização dos resultados.

A intranet é, portanto, um jeito eficiente de utilizar a tecnologia a favor do desempenho do negócio, já que gera uma excelente e diferenciada comunicação.

A importância dessa ferramenta para franquias de sucesso de baixo custo em 2018

Dentro de uma rede de franqueados, a presença da intranet é ainda mais indispensável. É por meio desse recurso que a franqueadora pode aproximar os integrantes da rede e garantir que todos fiquem por dentro daquilo que é realmente importante.

Para começar, é uma forma de deixar as informações acessíveis e democráticas. Dúvidas e orientações não são repassadas a apenas alguns franqueados, mas, sim, a todos os envolvidos.

Além disso, é um jeito de evitar a distorção de mensagens. Trata-se de algo muito comum quando os franqueados ficam responsáveis por propagar informações cruciais, em vez de ser a controladora.

É, ainda, uma forma de garantir a transmissão de conhecimento que é tão importante para a realidade das franquias. O recurso é, portanto, indispensável para que os resultados desejados possam ser alcançados.

Os pontos para avaliar sobre a intranet

Como a rede interna é uma ferramenta tão relevante e necessária, a avaliação sobre ela deve ser considerada para a tomada de decisão. Uma franqueadora que não tem boas características nesse sentido provavelmente não oferece uma comunicação adequada, o que certamente trará problemas.

Portanto, recorra a uma avaliação completa do elemento, pois é algo que permitirá fazer a melhor escolha. Entre os pontos que devem ser considerados, estão:

1. Verifique se a franqueadora conta com intranet

A princípio, é necessário verificar se a marca emprega o recurso. Mesmo que se trate de uma microfranquia, não há motivos para que a empresa não utilize essa ferramenta. Há vários serviços do tipo disponíveis, inclusive voltados para esse tipo de empreendimento.

Logo de saída, portanto, pergunte sobre o uso do elemento, como ele é integrado na rotina da rede e quais são os resultados alcançados. De preferência, peça para que a franqueadora demonstre a utilização, para ter a certeza de que tudo é usado corretamente.

A rede interna é tão importante quanto outros fatores, como a estrutura de tecnologia e inovação, então não desconsidere esse fator.

2. Conheça quais são os recursos disponíveis

Na sequência, pense em quais são as capacidades e ferramentas mínimas que são oferecidas pela intranet.

É indispensável que a rede permita a publicação de comentários e comunicados, bem como de arquivos variados. Anexar um vídeo ou um documento compacto, por exemplo, deve ser uma tarefa intuitiva nesse ambiente.

Ela não precisa ter centenas de funções, mas tem que ser útil para o conteúdo multimídia e para o acesso fácil, de qualquer lugar, às informações relevantes para o empreendimento.

3. Confira se há documentações e dicas

A transferência de know-how é um dos pontos fortes de participar de uma franquia. Como isso só é possível graças à franqueadora, a intranet deve conter dicas variadas sobre como melhorar o gerenciamento e como obter efeitos diferenciados. Além da controladora, a participação de outros franqueados agrega ainda mais valor.

Também é necessário que estejam disponíveis documentações essenciais. Os modelos de propostas e contratos facilitam a organização e a padronização e precisam estar sempre atualizados.

Outro documento que tem que ser modificado de acordo com a necessidade é o manual digital do franqueado. A versão on-line conta com todos os direitos, deveres e direcionamentos. Ao estar na intranet, o acesso a essas informações é facilitado.

Para completar, os treinamentos devem ser disponibilizados nesse ambiente. A partir dos vídeos, será viável adquirir os dados adequados mesmo quando não puder participar dos webinars ou outras transmissões.

4. Reconheça quais são os demais elementos oferecidos

Até aqui, você conheceu o que é o mínimo que precisa estar contido em uma intranet. A partir desse momento, as ferramentas “extras” contribuem para uma performance ainda melhor.

Para franquias de serviço, por exemplo, o funil de vendas é indispensável para a prospecção e acompanhamento dos leads qualificados. O CRM também é estratégico porque ajuda a conhecer melhor os clientes e possíveis compradores. A partir do registro de contatos, há uma personalização de atuação.

Já as ferramentas com métricas de desempenho garantem alinhamento entre a expectativa da controladora e da sua unidade. Para que nenhuma oportunidade seja perdida, a agenda de eventos presenciais e on-line é fundamental.

5. Analise se há outros meios de comunicação

Apesar de a intranet ser indispensável, ela não é a única ferramenta viável ou desejável para as franquias de sucesso. É muito interessante que ocorra o uso de outros elementos, pois é possível favorecer a troca de informações em novos níveis.

Ao fazer a análise, considere se há grupos e aplicados de comunicação instantânea, aplicativos para conferência online e assim por diante. Ao somá-los à rede interna, esses recursos trarão efeitos otimizados.

A intranet é uma ferramenta de comunicação e que é indispensável para o sucesso das franquias. Após verificar como é o uso na rede, a decisão sobre a melhor marca será facilitada.


Capítulo 17 – Fornecedores e logística

É muito improvável que um negócio faça tudo por conta própria.

Mesmo os que oferecem serviços, normalmente, têm que contar com fornecedores de algum modo.

Para as franquias, isso é especialmente destacável. Diante da necessidade de padronização, as opções de fornecimento são determinadas pela franqueadora. Reconhecer como tal elemento interfere nos resultados, portanto, é indispensável para ter uma atuação adequada e de qualidade.

A seguir, descubra como avaliar fornecedores e logística e veja como tomar a melhor decisão.

A influência do fornecimento e da logística nos resultados

O fornecimento é o conjunto de ações que visam à obtenção de insumos diversos. Enquanto isso, a logística se relaciona à estrutura percorrida até que esses fatores cheguem até o seu empreendimento. Basicamente, o fornecimento é o passo inicial da produção e a logística está ligada ao tempo e ao custo.

Quando os dois elementos são adequados, o negócio tem um ciclo correto de atuação, pois é devidamente abastecido. Por outro lado, falhas nesse sentido levam a problemas como desabastecimento, falta de qualidade e até custos elevados.

Ter que recorrer a um fornecedor de emergência, por exemplo, custa caro e pode colocar em xeque a oferta de um determinado empreendimento.

Já que é um dos gargalos produtivos e de resultados, a dupla tem que ser avaliada corretamente, de modo a favorecer em vez de atrapalhar.

As consequências de não avaliar esse elemento

Como dito, uma franquia precisa se preocupar com a padronização, inclusive quanto ao fornecimento. Por causa das questões relacionadas à qualidade, ao preço e até aos contratos comerciais, não é possível selecionar as empresas de fornecimento por conta própria.

Quando isso é deixado de lado ao tomar a decisão, o preço é cobrado mais tarde. Durante a operação da unidade, você sentirá no bolso e na gestão os efeitos de ter fornecedores ruins, que não cumprem com os prazos ou que não têm uma logística adequada.

Mesmo as franquias de sucesso de serviços em 2018 podem ter fornecedores, como os de tecnologia. Portanto, nenhum empreendimento deve desconsiderar a importância de refletir como ocorrerá o abastecimento para o perfeito funcionamento.

Os fatores para analisar sobre fornecedores e logística

Ao reconhecer a relevância de pensar em fornecedores e logística, é o momento de partir para a ação. Graças à consideração de diversos elementos, será viável ter uma ideia clara se a estrutura é ou não adequada aos seus objetivos.

Essa etapa é necessária porque, dependendo do caso, a franquia de sucesso no Brasil e torna imediatamente pouco atraente graças a seus fornecedores. Para não errar, veja o que deve ser considerado:

1. Conheça a estratégia de fornecimento da franqueadora

Uma franquia de sucesso de beleza no Brasil, por exemplo, terá uma necessidade diferente de uma de moda ou de tecnologia. Portanto, é fundamental que a controladora tenha uma estratégia adequada para o fornecimento.

Confira qual é o plano de compras de acordo com as vendas ou a época do ano. Não deixe de analisar se existe um plano concreto e viável.

A falta de uma estratégia indica o descuido com uma parte crucial do empreendimento. Portanto, é algo que deve disparar um sinal de alerta a respeito da marca.

2. Avalie a qualidade e a quantidade de fornecedores

As empresas que fornecem para a sua unidade terão impacto direto no que é oferecido ao cliente. Fornecedores ruins significam produtos ou serviços inadequados, consumidores insatisfeitos e até a ruína do seu sonho empreendedor.

Não deixe de pensar na idoneidade dos parceiros externos e na qualidade do que eles oferecem. É interessante que as parcerias firmadas sejam adequadas e favoreçam a experiência do cliente.

Outra abordagem consiste em verificar quantos são os fornecedores homologados. Quando há a dependência de apenas um estabelecimento, qualquer problema pode gerar graves impactos no seu negócio. Por isso, o ideal é que a franquia ofereça mais de uma alternativa para cada produto.

Se os fornecedores forem exclusivos, o diferencial da sua unidade dispara. Em caso contrário, é relevante que ele ofereça condições distintas. Eventualmente, isso impactará o custo dos produtos, que não deve ser excessivo para não prejudicar a margem de lucro.

3. Entenda os custos e a entrega

Por falar nas despesas, coloque na ponta do lápis o quanto cada fornecedor custa. Reconhecer os gastos é fundamental para ter uma ideia clara dos gastos e para dar maior segurança a sua unidade. Porém, a intenção não é buscar o mais barato, mas, sim, aquele com melhor custo-benefício.

Outra questão relevante é a logística. Ela deve ser competitiva, de modo que os pedidos cheguem na data e do jeito adequado.

A velocidade, inclusive, faz toda a diferença. Empreendimentos que precisam aproveitar momentos sazonais, por exemplo, exigem uma entrega rápida e muito eficiente. Para completar, o processo não pode atrapalhar o funcionamento da franquia.

4. Descubra como os pedidos são feitos

Além de analisar os fornecedores e logística, reconheça como os pedidos acontecem. Compreender essa etapa ajudará a ter uma noção de como tudo acontece na cadeia produtiva, o que traz insights poderosos para a tomada de decisão.

Verifique se há um pedido mínimo. Dependendo da quantidade exigida, pode não ser algo interessante no começo do empreendimento.

Outra questão se relaciona à grade de pedidos. Muitas vezes, é necessário adquirir o que a controladora quer vender e não só o que a franquia deseja. Nessas situações, será preciso ter ainda mais controle de estoque.

Por fim, veja onde esses pedidos são feitos. A realização pela intranet é uma maneira prática e descomplicada e que permite o acompanhamento dos históricos. Ao mesmo tempo, é importante ter recursos avançados, como programação ou interrupção de compras de forma automática.

5. Reconheça como funciona o pagamento

Para que o conjunto entre fornecedores e logística ajude a sua unidade de franquia, não se esqueça de descobrir como acontece o pagamento.

Os que dão desconto à vista, por exemplo, ajudam na ampliação da margem de lucro e a evitar o endividamento. Por outro lado, é fundamental que o prazo de pagamento seja consistente com o ciclo de vendas. Do contrário, a necessidade de capital de giro será elevada.

Em situações atípicas, um ponto positivo é a flexibilidade oferecida pelo fornecedor. Se ele está disposto a auxiliar a franquia em uma dificuldade financeira temporária, a unidade recebe uma ajuda importante para se manter robusta.

Já que a dupla de fornecedores e logística é indispensável para o sucesso do negócio, avalie como tudo funciona na franquia. Ao final, você terá um entendimento sobre a franquia de sucesso e melhor sobre qual caminho seguir.


Capítulo 18 – Treinamentos

Para ser um profissional mais capacitado, é preciso passar por treinamentos.

São eles que garantem o desenvolvimento intelectual e no trabalho, de modo a gerar resultados muito melhores e diferenciados dos concorrentes.

Os empreendedores também devem passar por essas etapas, inclusive os donos de franquia. Graças ao processo, será possível entender mais sobre o negócio e sobre as melhores práticas para conseguir os efeitos desejados.

Se a franqueadora não oferece uma boa estrutura de treinamento, então ela pode não ser a melhor opção. Para tirar a dúvida, veja como estudar uma alternativa com base nos treinamentos oferecidos.

A influência dos treinamentos no sucesso da franquia de sucesso 2018 no Brasil

Para se dar bem no mundo dos negócios, é fundamental ser plenamente capacitado. Mesmo especialistas em uma área devem buscar mais conhecimento, já que isso favorece o bom desempenho. No caso dos franqueados, a relevância desses treinamentos se torna ainda maior.

Em primeiro lugar, é a forma que o participante da rede tem de ter acesso a todas as informações da franquia. Embora a circular de oferta traga uma boa visão, são as capacitações que permitem se aprofundar sobre o negócio.

É um jeito de o franqueado explorar a cultura da marca, além de todas as questões ligadas ao seu funcionamento.

Acima de tudo, o treinamento tem o objetivo de favorecer a padronização. Graças a ele, todos os franqueados sabem o que, como e quando cada etapa deve ser realizada. Assim, há total estruturação na operação do empreendimento.

A necessidade de treinar além do franqueado

Quando se fala no treinamento em franquias, o empreendedor é a figura principal. Uma vez que ele passe a integrar a rede, ele passará por várias etapas que servem para explicar como o negócio é administrado e operado.

Apesar de isso ser relevante, não é o suficiente. Treinar só o franqueado será pouco útil se ele tem que contar com uma equipe de funcionários. Se cada um agir da própria maneira, a padronização prevista pela franqueadora não será atingida.

Portanto, é indispensável pensar na necessidade de treinar colaboradores. A única exceção fica para franquias home based, já que, normalmente, elas são individuais. Em todos os outros casos, a preocupação com essa etapa faz a diferença para obter o sucesso.

Os pontos para analisar sobre os treinamentos da franquia

Depois de reconhecer o impacto que os treinamentos têm na atuação como franqueado, é o momento de decidir se uma determinada marca é ou não atraente. A falta de capacitação significa que o ponto de partida do empreendimento já está completamente errado e a perspectiva não é boa.

Por isso, vale a pena dedicar um tempo especial para considerar a questão tão crucial para o desempenho. Veja quais fatores levar em conta e descubra o que deve ser prioritário na decisão:

1. Descubra como são os treinamentos

O ponto de partida consiste em descobrir como são os treinamentos. Atualmente, é fundamental que o processo seja dinâmico, efetivo e que traga ótimos resultados.

Assim que entrar, você passará pelo inicial. Ele precisa ser presencial e a capacitação deve incluir as partes estruturais de funcionamento do negócio. O tempo de duração da etapa deve ser consistente com a programação, de modo a garantir um bom aprendizado.

Também é indispensável que a quantidade de informações seja relevante, mas de fácil absorção. Tão importante quanto a teoria, a prática tem que, igualmente, fazer parte. Com isso, atividades práticas, como dinâmicas e experiências, devem compor o planejamento.

2. Verifique a periodicidade e o investimento

Como o mercado está em constante mudança, a franquia e os conhecimentos devem seguir essa tendência. Por isso, os treinamentos precisam ser realizados de maneira periódica, de modo a garantir o dinamismo.

Não existe um valor universal, mas é interessante, por exemplo, que haja uma disponibilização de novas lições a cada mês. Paralelamente, os de reciclagem são igualmente necessários, já que uma atuação defasada pode ser fatal.

Em muitos casos, as capacitações são gratuitas. Contudo, em determinados momentos elas exigem um investimento e você tem o direito de saber, de antemão, qual é a média de gastos nesse sentido. Se houver a indicação de treinamentos externos, será vantajoso se as instituições oferecerem qualidade e condições diferenciadas.

3. Conheça os tipos de treinamento realizados

Além do inicial e do de reciclagem, há várias outras possibilidades quando se abre uma franquia. O ideal é que a controladora ofereça o conjunto completo.

O treinamento técnico é necessário tanto para quem já entende da área quanto para quem começa agora. Ele se relaciona à execução das tarefas específicas e que exigem certas habilidades.

Já o de gestão precisa demonstrar o que fazer para administrar o empreendimento com sucesso. Enquanto isso, o comportamental é uma capacitação especial para alinhar as atitudes com as expectativas.

Juntos, esses elementos maximizam as chances de êxito, já que contemplam os três pilares principais de uma empresa.

4. Considere a quantidade de horas de treinamento

É impossível se transformar em um especialista da franquia em apenas um ou dois treinamentos. Porém, a tarefa é completamente inviável se o tempo dedicado é de poucas horas. Por se tratar de um tema complexo, a duração faz toda a diferença para os resultados.

O inicial deve ser de, no mínimo, 40 horas. Do contrário, não será possível conhecer tudo o que é necessário. Os on-line também precisam ter um mínimo de tempo de 100 horas. Isso garantirá a máxima absorção do conhecimento.

Se houver lançamentos frequentes, como a cada mês, é um indício forte da qualidade e da preocupação da franqueadora.

5. Conheça o impacto na rede de sucesso no Brasil

Para que a marca obtenha sucesso, todos os franqueados precisam passar pelo processo. Então, nada mais justo do que procurar compreender os efeitos dessa etapa em toda a rede.

Para ter um bom entendimento sobre isso, veja se a empresa divulga as práticas dos franqueados com melhores resultados. Por si só, isso já pode funcionar como um treinamento — nesse caso, voltado para a passagem de know-how.

Também é interessante que ocorram reuniões regionais e uma convenção anual. Isso ajuda na integração dos participantes e na transmissão e troca de conhecimento.

Por fim, analise se os treinamentos são úteis para que os franqueados tenham sucesso. Pergunte a opinião deles sobre o tema e compreenda se a abordagem realmente favorece o êxito.

Os treinamentos garantem o conhecimento sobre o negócio e a padronização de franquias. Feito para o empreendedor e funcionários, ele deve fazer parte da análise para escolher a melhor oportunidade de investimento.


Capítulo 19 – Marketing e propaganda

O conjunto de marketing e propaganda é muito poderoso para o sucesso de um empreendimento.

Esses elementos ajudam a prospectar e atrair novos clientes e favorecem o aumento de vendas em vários sentidos.

Para melhorar os resultados, as franquias de sucesso de baixo investimento também precisam se preocupar com isso. Não se pode esquecer da necessidade da padronização e de uma atuação estritamente autorizada pela franqueadora. Com isso, é indispensável fazer uma análise consistente para saber como tudo funciona e se faz sentido.

A seguir, veja alguns aspectos relevantes sobre marketing e propaganda e entenda por que o conjunto deve influenciar a escolha de franquia.

O impacto do marketing e da propaganda

As ações de marketing e propaganda, se forem feitas corretamente, podem gerar ótimos efeitos. No primeiro caso, há alternativas como o marketing digital, inbound marketing e de conteúdo. As opções são convenientes para marcar presença onde o cliente está e aproximá-lo da marca. Ele está ligado a todas as etapas que compõem a venda e que geram bons resultados.

Já a propaganda se relaciona à exposição. A ideia é alcançar um número maior de pessoas e garantir que mais gente saiba que a sua empresa existe. Ou seja, ela é uma espécie de chamariz para que os clientes possam considerar o negócio como uma possibilidade.

Como faz parte do marketing, os dois andam juntos na hora de conquistar efeitos. Entre as consequências positivas, estão o aumento de visibilidade da marca, maior reconhecimento e melhores possibilidades de conversão.

Em uma visão mais ampla, o bom uso das ferramentas leva a uma elevação nas vendas, no faturamento e na fidelização. Ao final, tudo contribui para a segurança e robustez do empreendimento.

O funcionamento do marketing e propaganda de rede

Como dito, a franquia de sucesso 2018 exige uma atuação padronizada e isso também vale na hora de captar oportunidades e melhorar a divulgação.

Nesse sentido, há marketing e propaganda de rede. Em geral, eles têm âmbito nacional. Com a divulgação para um território muito amplo, todas as unidades se beneficiam.

Imagine que a franqueadora investe em um anúncio na TV e um cliente em potencial da sua região o assiste. Após procurar o empreendimento, provavelmente será direcionado a você, o que gera um novo negócio fechado.

Portanto, é fundamental entender como esses aspectos funcionam na franquia. Verifique se a imagem que chegou até você foi positiva e se a comunicação é adequada.

As questões mais importantes para as franquias sucesso de baixo investimento

Depois de garantir que a franqueadora tem uma atuação correta quando se fala em marketing e propaganda, é o momento de verificar como isso acontece na empresa. Essa análise faz a diferença para que você não escolha um empreendimento com baixa capacidade ou interesse em se divulgar e atrair as pessoas.

Por outro lado, uma franqueadora que sabe como aproveitar o melhor dessa oportunidade gerará ótimos benefícios para a sua unidade. Portanto, veja quais elementos devem ser considerados:

1. Verifique se há um Fundo Nacional de Propaganda

Como todos os franqueados se beneficiam de marketing e propaganda de rede, é natural que todos contribuam com a sua execução.

Por isso, é cobrada a taxa de propaganda. O valor incide sobre o faturamento e é destinado ao Fundo Nacional de Propaganda. Com esses recursos, a controladora pode realizar ações de promoção em âmbito nacional.

Como é indispensável contar com ações amplas, verifique se a empresa possui o FNP. Além de tudo, não deixe de conferir qual é o retorno sobre investimento (ROI) da abordagem.

Boas práticas e métricas adequadas demonstram que a atuação é bem-sucedida. Aproveite e verifique se há um planejamento trimestral, semestral e anual da FNP. É um sinal de organização consistente, que poderá beneficiar a sua unidade.

2. Identifique se há apoio às ações locais

Ao mesmo tempo em que a atuação abrangente é importante, a controladora precisa oferecer o suporte necessário para que ações locais aconteçam corretamente. Por isso, não deixe de questionar se os franqueados recebem suporte por parte da franqueadora na hora de executar ações regionais.

Analise, por exemplo, se há um planejamento trimestral, semestral e anual para as ações locais. Idealmente, ele deve ser desenvolvido em parceria com a responsável por toda a rede.

Também é necessário verificar se podem ser realizadas promoções regionais e se há o auxílio na produção de artes. Se a atuação local recebe o apoio das produções da controladora, ocorre a personalização e a melhoria dos resultados.

3. Descubra se há uma agência interna

Ao fazer a análise de marketing e propaganda, verifique se a franqueadora conta com uma agência interna. Em alguns casos, o negócio indica agências que podem ser contratadas, mas não é o panorama ideal.

Contar com um time interno é relevante porque facilita o processo com as franqueadas. Diante da existência desse time, é muito mais fácil solicitar artes e peças específicas.

Além de tudo, é um jeito de manter a consistência de atuação. A linguagem será sempre mantida, o que ajuda a fortalecer a imagem da marca.

4. Veja qual é a qualidade de produção de artes

Paralelamente, não basta ter uma equipe interna e capaz de produzir com personalização. Pense em qual é a qualidade de produção, afinal, a geração de oportunidades depende disso.

Veja, por exemplo, qual é a diversidade de modelos e formatos oferecidos. As peças de propaganda nas redes sociais não são as mesmas que em um site e isso deve ser considerado.

Para não ter dúvidas quanto ao aspecto e ao resultado, solicite ver quais são as artes em produção. Elas darão uma ideia clara de como a equipe trabalha e se oferecem chances para a sua unidade se destacar.

5. Conheça o que é permitido e o que é vetado

Assim como ocorre com todas as ações da franquia, é fundamental que haja integração e unidade. É preciso que tudo seja padronizado, de modo a transmitir uma imagem segura e adequada para o consumidor.

Com marketing e propaganda, não é diferente. Diante de experiências passadas, a franqueadora consegue determinar o que não funciona e, portanto, o que não pode ser feito quanto a isso.

Não deixe de conhecer quais são as restrições de estratégia nesse sentido para agir corretamente. Ao mesmo tempo, verifique se a controladora está aberta a novas ideias, o que permite atingir a satisfação.

O conjunto de marketing e propaganda é crucial para o sucesso do negócio, incluindo a franquia. Veja qual é o posicionamento da franqueadora sobre essa questão, entenda os pontos-chave e acerte na escolha!


Capítulo 20 – Selo de Excelência

Na hora de escolher uma franquia, é indispensável reconhecer qual é a satisfação dos franqueados e o que eles pensam a respeito da rede.

Além de perguntar diretamente para os participantes, há outra forma de verificar esse resultado: por meio do Selo de Excelência da ABF.

Essa “premiação” oferece um panorama consistente de como é a atuação de cada alternativa. Assim, fica mais fácil compreender se a opção que tem o seu interesse é, de fato, a melhor escolha.

Para entender a relevância do Selo de Excelência, veja como ele funciona e aprenda a aplicá-lo na tomada de decisão.

A importância da chancela da Associação Brasileira de Franchising

A Associação Brasileira de Franchising (ABF) é a principal do setor. Essa associação conta com diversas franqueadoras que fazem parte da entidade.

Ela é a mais relevante do ramo porque existe desde 1987 e é uma instituição que serve para “regulamentar” o nicho. Note que não é um órgão governamental e não tem o poder de permitir que uma franquia exista ou não.

Contudo, traz orientações importantes para franqueados, interessados e clientes sobre as empresas que estão associadas.

Anualmente, a ABF realiza uma pesquisa anônima entre os integrantes das redes das participantes. As vencedoras, em cada categoria, recebem o Selo de Excelência. Assim, é possível identificar, com total confiabilidade, quais são as melhores oportunidades.

Os aspectos que são pontuados pelos franqueados

A metodologia do Selo de Excelência garante que todos os franqueados possam expressar suas opiniões livremente, sem represálias. A partir disso, é encontrado o valor de satisfação global.

Porém, há outros fatores que são considerados. A aquisição de franquia, por exemplo, demonstra se o franqueado compraria novamente. A nota para conteúdo dos manuais determina se os documentos são bem explicados, bem como os treinamentos.

O suporte é pontuado de acordo com a disponibilidade e resolução, enquanto os programas de marketing e os canais de comunicação têm a ver com eficiência.

Outros pontos observados incluem a relação custo-benefício, a lucratividade, a solução de conflitos e a conquista de expectativas.

Por fim, a imagem da empresa é considerada da visão do franqueado. Todas essas notas originam uma média e a pontuação que ranqueia as franquias.

O que considerar sobre o Selo de Excelência

Já que o Selo de Excelência diz tanto sobre a franquia de sucesso 2018 no Brasil, é importante avaliar tal fator para tomar a melhor decisão. Esse é um quesito extra na hora de escolher de qual rede de franqueados participar e trará uma orientação relevante.

Para não ter dúvidas a respeito, entenda a relevância da análise e descubra o que deve ser feito:

1. Verifique se a franqueadora é detentora do selo de excelência

A princípio, saiba se a controladora tem o Selo de Excelência. A chancela da ABF é concedida a menos de 10% das franquias brasileiras e significa, por si só, que essa é uma excelente oportunidade no segmento.

Se a empresa é a atual detentora da chancela, por exemplo, ela tem uma atuação em gestão adequada, que atende às expectativas dos franqueados e que, em geral, traz bons resultados.

A existência desse “título”, portanto, significa que o negócio se destaca dos demais e que se mostra como uma oportunidade muito atraente.

2. Confira o histórico de participação

Para ter maior segurança, é interessante verificar qual é o histórico do empreendimento ao concorrer ao Selo de Excelência. As franquias de sucesso de baixo custo candidatas devem ter, ao menos, um ano de atuação. Então, se o estabelecimento participa dessa pesquisa desde o começo, é um ótimo sinal de que existe o interesse em melhorar e se destacar desde cedo.

Também é importante ver o histórico de conquistas. Caso ela tenha recebido o selo por vários anos consecutivos, há um indício de consistência e alta qualidade. Por outro lado, a perda nos últimos anos pode indicar um declínio de atuação.

Além de tudo, uma empresa que nunca participa da pesquisa, normalmente, está “fugindo” das opiniões dos franqueados. Esse não é um bom indicador e exige atenção redobrada.

3. Descubra se há transparência na divulgação de resultados

O índice geral de pontuação é o principal indicador e que garante o Selo de Excelência, na maior parte das vezes. Contudo, é fundamental ter acesso aos outros fatores. Ao reconhecer a pontuação de todos os fatores, é possível ter uma ideia clara de quais são os pontos fracos e os pontos fortes da controladora.

Além disso, poder explorar as informações complementares significa que a franqueadora se preocupa em ser transparente, em facilitar a comunicação e garantir os subsídios necessários para uma decisão acertada.

Enquanto estiver considerando de qual participará, portanto, é indispensável avaliar o nível de detalhamento dos dados.

4. Entenda quais são as ações de melhoria

Receber o Selo de Excelência é importante e diz muito sobre a elevada qualidade de atuação da franquia. Contudo, essa também é uma oportunidade de colher feedback honesto dos franqueados e de identificar o que ainda pode ser melhorado.

Ou seja, mesmo a empresa que se sagrou vencedora em determinada categoria tem que ter o cuidado de buscar novas formas de atuação e de estar sempre em busca de otimizações.

Como os indicadores-chave de performance se destacam, é interessante que o negócio modifique a sua atuação para empreender melhorias baseadas nesse levantamento.

5. Avalie o desempenho junto a outros fatores

A existência do selo é algo destacável, que coloca a franquia de sucesso 2018 em uma posição muito interessante. Porém, essa questão não deve ser analisada sozinha e, sim, deve coroar uma compreensão completa de diversos elementos do negócio.

É preciso avaliar as outras características do empreendimento, as suas expectativas e os resultados médios obtidos. Diante de um panorama positivo, a chancela da ABF é um ponto extra e desejável.

Contudo, o “prêmio” também é a consequência de uma atuação bem estruturada. Com isso, normalmente funciona como um indicador claro de que a franquia está no caminho certo — e que pode ser uma boa escolha para os seus interesses.

O Selo de Excelência é concedido pela ABF e demonstra a qualidade de uma franquia. Ao somar o fator aos demais, é possível descobrir se uma franqueadora é de qualidade e cumpre com o que promete. Portanto, não deixe de considerar esse elemento.


Vantagens ao abrir franquia de sucesso no Brasil

– Marca consolidada

– Conceito testado

– Tempo de implantação menor

– Métodos de gestão profissionais

– Economia por conta da compra de insumos em escala

– Treinamentos e suporte

– Foco nos processos

Desafios ao investir em uma franquia de sucesso

– Riscos, como qualquer outro negócio

– Cumprimento de metas e análise de desempenho

– Regras e padrões pré-estabelecidos

– Taxas, como royalties

Como escolher uma franquia de sucesso

Passo 1

Avaliar se você realmente tem interesse em investir neste modelo de negócio e se está disposto a assumir riscos. Um contrato de franquia pode durar cinco anos, por isso, a reflexão deve ser franca. O negócio precisa valer a pena financeiramente, mas também deve ser prazeroso. Certifique-se que sua família aprova sua decisão, pois você poderá ter menos tempo para ela.

Passo 2

Não escolha a franquia pelo produto ou serviço que ela comercializa. Avalie se você possui afinidade com as atividades da franquia, busque informações sobre os processos em sites, com consultores e outros franqueados.

Passo 3

Analise a saúde financeira da franqueadora, verifique o ritmo de crescimento das unidades e procure entender os movimentos da rede. Aproveite para avaliar o suporte dado pelo franqueador, desde a implementação do negócio. Informe-se também sobre treinamentos.

Passo 4

Alinhe as suas expectativas com as do negócio. Avalie se a sua remuneração e jornada de trabalho serão compatíveis. Analise se o investimento é justo e se está dentro do praticado no mercado, assim como as taxas de royalties e propaganda. Neste momento, faça uma avaliação do montante que você deverá investir e compare com retorno financeiro previsto.

Passo 5

Leia atentamente a circular de oferta de franquia e o contrato. Se possível, leve um consultor ou um advogado para verificar tudo antes de fechar o negócio. O processo para se tornar um franqueado pode ser um pouco demorado e isso é bom. Empresas sérias possuem um processo seletivo detalhado, afim de manter o bom nível da rede.

Quais são as microfranquias de sucesso?

Para ser considerada uma microfranquia a ABF exige que o valor de investimento total seja de até R$ 80 mil. Isso pode gerar uma falsa impressão de que o modelo está fadado a ser pequeno, mas o que poucos sabem é que muitas microfranquias faturam mais do que as franquias convencionais, principalmente aquelas inseridas no segmento de prestação de serviços. Nestes casos, as microfranquias de sucesso que mais se destacam são as home based, em que todo o trabalho pode acontecer em casa, pois o franqueado consegue conciliar qualidade de vida e trabalho bem feito. Além disso, o empreendedor pode aproveitar todo o potencial do negócio sem precisar investir em um espaço físico específico e sem contratar colaboradores.

Dicas para futuros franqueados de sucesso:

1 – Seja um empreendedor que faz diferença, busque atitudes assertivas, conheça o mercado local e reconheça as oportunidades

2 – Tenha um bom relacionamento com a marca e com outros franqueados

3 – Fique atento à sazonalidade

4 – Invista em atendimento e no processo de fidelização do cliente

5 – Compreenda a estrutura da franquia e saiba respeitar as regras

1 09, 2017

CEO da franquia home office Guia-se participa do Digitalks 2017

Franquia Virtual, Franquias de Sucesso, Franquias Home Based|

Evento destacou o tema "Transformação Digital" e contou com a presença dos principais nomes do marketing digital O CEO da franquia home office Guia-se Negócios pela Internet, José Rubens Oliva Rodrigues, participou da 4ª [...]

4 07, 2017

Unidade entra para time de franquias de sucesso da Guia-se

Franquias de Sucesso|

Microfranquia inaugura 21 franquias de sucesso no primeiro semestre de 2017 As franquias de sucesso da Guia-se Negócios pela Internet vêm se expandindo a cada ano. Só neste primeiro semestre de 2017 foram [...]

7 03, 2017

Mega Partners reúne franquias de sucesso esta semana

Franquias de Sucesso, Notícias da Franquia|

Encontro das franquias de sucesso acontece na sede da microfranquia em Indaiatuba/SP e contará com a presença de parceiros e convidados Um dos eventos mais esperados pelos franqueados da Guia-se Negócios pela Internet [...]

3 03, 2017

Guia-se treina novas franquias de sucesso

Franquias de Sucesso|

Unidades devem começar a funcionar após o treinamento inaugural que deve acontecer ainda este mês A Guia-se Negócios pela Internet realizou, em fevereiro, o treinamento inicial de mais três unidades das franquias de [...]

13 02, 2017

Publicação destaca franquias de sucesso no Rio de Janeiro

Franquias de Sucesso, Notícias da Franquia|

Franquias de sucesso no Rio de Janeiro se destacam pelo perfil home based e presença, tanto na capital quanto em outras regiões do Estado Franquias de Sucesso - A Guia-se Negócios pela Internet [...]




Parceiros

Parceiros Rodapé